Povo de Vilarinho de São Luís preserva as suas tradições Espigueiros de Vilarinho de São Luís - Palmaz - Oliveira de Azeméis Ondas da Serra
terça, 20 dezembro 2016 22:56

Povo de Vilarinho de São Luís preserva as suas tradições Destaque

Classifique este item
(1 Vote)

O Ondas da serra viajou até à aldeia de Vilarinho de São Luís – Palmaz – Oliveira de Azeméis, para percorrer o PR1, rota dos Espigueiros. Depois de termos viajado por umas estradas maltratadas, abriu-se à nossa frente um bonito vale, com a aldeia em cascata sobranceira à planície por onde sussurrava um rio. Desde logo constatamos que ali o som era diferente e o tempo alongava-se na eternidade dos momentos. O latir dos cães e o canto dos garnisés suavam mais límpidos e com outra sonoridade.

A bonita aldeia e vale de Vilarinho de São Luís - Palmaz - Oliveira de Azeméis

Espigueiros em Vilarinho de São Luís - Palmaz - Oliveira de Azeméis

Abandonado o carro começamos a caminhar e fomos perguntar informações sobre o trilho por acasos do destino ao Vice-Presidente da Associação Tradições de São Luís, Alberto Soares, que nos avisou que o trilho não estava limpo nem devidamente sinalizado. Apesar disso fomos na mesma e ainda fizemos uma parte considerável até sermos barrados no vale por densa vegetação, tivemos com muita pena de desistir mas ainda bem que o fizemos porque fomos falar e conhecer outras pessoas.

O vale de Vilarinho de São Luís coberto por espigueiros

Aproveitamos essa paragem forçada para almoçar numa zona elevada defronte à aldeia e aos conhecidos espigueiros. No final atravessamos os campos e falamos mais em pormenor com o Sr. Alberto, sobre a sua associação e o percurso. Ali perto encontrava-se a Presidente da coletividade de nome Almerinda, em amena cavaqueira com uma amiga que lavava roupa num tanque público à moda antiga, torcendo e batendo a roupa na pedra.

Depois das apresentações feitas convidou-nos a tomar café na associação que por sinal funciona na antiga escola primária. Aproveitamos o facto para fazer um vídeo onde a mesma dá a conhecer algumas das suas tradições e fala sobre a sua terra. Nessa sede alguns dos presente muito curiosos quiseram saber que eramos e aproveitamos para falar orgulhosos sobre o nosso trabalho.    

O dia terminou com o sentimento de termos recuado ao Portugal de outrora, rural, dos tempos dos morgados, duro mas cristalino, regressamos com o coração cheio.  

A entrevista ao Vice-Presidente da Associação Tradições de São Luís,

Vice-Presidente da Associação Tradições de São Luís, Alberto Soares

Aqui fica a conversa que tivemos com o Vice-Presidente.

Muito boa tarde, estamos aqui com o Sr. Alberto Soares, Vice-Presidente da Associação Tradições de São Luís, pode-nos explicar quais são os objetivos desta coletividade?

O objetivo desta associação é manter vivas as tradições desta terra, que é uma aldeia muito pequenina. O nosso povo por vezes tem dificuldades em sair daqui e usamos a sede como ponto de encontro.

Onde se situa a sede da vossa Associação?

Situa-se na antiga escola primária em frente à capela.

E que tradições destaca nesta aldeia?
Destaco a lavoura, aquilo que era há cerca de 20 anos atrás, o cultivo do milho, feijão, tudo o que a terra dá, a matança do porco, como o fizemos há poucos dias.

Pode indicar-nos quantos habitantes tem atualmente esta terra e o número de sócios da Associação?

A aldeia deverá ter à volta de 60 pessoas, não tenho números exatos mas associação para cima das 70.

Em relação aos percursos pedestres, vocês têm aqui a Rota dos Espigueiros que constatamos estar a precisar duma manutenção.

É verdade que está a precisar de ser limpa, o que vamos fazer brevemente, bem como a colocação de novas marcações, porque as atuais já tem muitos anos.

Tem tido algum tipo de apoio das entidades oficiais para executarem estas tarefas.

Tivemos o apoio da ADRITEM quando foi para fundar Associação e a partir dai os apoios são dados pelo nosso povo.

E o povo tem aderido a estas realizações?

O povo de Vilarinho de São Luís toda a vida foi um povo unido e adere sempre com entusiasmo a todos os eventos.

Qual o maior problema com que se debatem as pessoas no seu quotidiano?

O maior problema aqui na nossa zona são as estradas, os acessos são péssimos, sendo a única coisa que impede por vezes a juventude de ficar por aqui.

Do local onde nos encontramos podemos ver no meio do vale o principal núcleo dos espigueiros, antes desta conversa formal disse-me que estava a pensar fazer uns melhoramentos junto aos mesmos.

Exatamente, eu tenho andado com frequência ali a fazer uns pequenos arranjos nos espigueiros e espero em breve colocar lá umas mesas para as pessoas que passem.

A nível das tradições, vocês tem a vossa festa anual?

Temos a festa em honra de São Luís no último domingo de Agosto, vem cá muita gente e os emigrantes da terra.

Tem conhecimento de alguma tradição que se tenha perdido no tempo?

Tínhamos a criação de vacas leiteiras, depois os maus acessos impediram as empresas de vir cá buscar o leite. Como nos negaram a recolha do leite as pessoa deixaram de as criar. Ainda subsista a criação de alguns tourinhos para a produção de carne.

Então de que subsistem as pessoas?

Subsistem da lavadoura, da agricultura e matos.

Esta aldeia pertence a Oliveira de Azeméis.

Correto mas os acessos para lá são péssimos. Estamos à espera que a nossa Câmara faça algumas obras, tem havido promessas mas até à data nada foi feito. Temos um bom acesso para Albergaria-a-Velha, mas esperamos que a nossa Câmara tenha um bocado de compaixão por nós e faça obras em breve.

Neste momento se tivesse que pedir alguma ajuda o que pediam?

Ora bem a mais importante como já disse eram os acessos, o resto tudo se faz. Qualquer obra pública que seja necessária aqui em Vilarinho e que possa ser feita com mão-de-obra local o povo oferece a mesma de graça.  É uma realidade que as entidades têm-nos oferecido o material sempre que pedimos, desde que sejam para benefício da população.

Ondas da Serra deseja-vos boa sorte e vamos continuar a fazer o nosso trabalho de forma a dar voz ao povo e coletividades das aldeias esquecidas no meio das serras.

Obrigado 

Ver Vídeo: Vídeo com a Senhora Presidente da Associação Tradições S. Luís, Professora Almerinda
Ver Vídeo: Vídeo da Aldeia Vilarinho de São Luís

Galeria de fotografias da Rota dos Espigueiros - Vilarinho de São Luís - Palmaz

Lida 989 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Passadiços do Rio Caima com belas margens clamando atenção

O Rio Caima pula como uma criança pela Serra da Freita abaixo, brincando por montes e vales desde Albergaria da Serra em Arouca até à foz no Rio Vouga. Ao chegar à Frecha da Mizarela lança-se incauto no abismo, mas vai ganhando carácter com o crescimento ao passar por terras de Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis. Em Ossela é já um confiante e belo jovem por cujas damas se enamoram. Para o agradar, Palmaz em 2011 ofereceu-lhe nas suas margens uns passadiços, muito aclamados pelo povo. Este é um local agradável para caminhar pelos recônditos trilhos, rodeados de frondosa vegetação, escutando a sinfonia dos pássaros, sussurro das águas e zumbidos das abelhas. Contudo passado mais de uma década desde a sua requalificação o espaço carece de atenção e de obras de manutenção, para relançar todas as suas potencialidades e recolocar o velho rio no seu usurpado trono.

Descubra na Serra de São Macário três aldeias de arrepiar

Fomos conhecer a Serra de São Macário, onde meditou o ermita, penitenciando-se pelos pecados e vida boémia que viveu, enclausurado em serrados e impenetráveis penedos, longe da vista humana. No fundo do vale o povo erigiu com xisto a Aldeia da Pena, com vista para a Livraria da Pena, onde se pode ler na curiosa geologia e restos fossilizados da passagem de trilobites a história do ordovício há 480 milhões de anos. A rota da Cabra e do Lobo de São Pedro do Sul começa nesta Aldeia de Portugal, caminha por paisagens que a elevação humana não abarca, passando pelas igualmente formosas aldeias de Covas do Monte e Covas do Rio. É esta odisseia pelo passado que lhes vamos contar neste artigo, onde vimos cabras e até um lobo fugidio.  

Novas Ecopista de S. Pedro do Sul e Ecopista de Vouzela

Novos percursos da Ecopista do Vouga | Ecopista de São Pedro do Sul e Ecopista de Vouzela

O Ondas da Serra regressou de bicicleta à Ecopista do Vouga, para conhecer a Ecopista de São Pedro do Sul e a mais recente Ecopista de Vouzela, que também aproveitaram o antigo percurso ferroviário. O caminho que escolhemos começou na Serra da Freita e terminou na estação ferroviária de Macinhata do Vouga. Neste artigo vamos contar-lhes a nossa aventura através dum percurso espetacular que também pode fazer pelos melhores trilhos de Viseu e Aveiro.