Parque da Cabreia

Classifique este item
(3 votos)

O "ONDAS DA SERRA" – órgão de comunicação social que promove as belezas da região de Aveiro – mergulhou nesta primavera na frescura do Parque da Cabreia, lugar idílico situado na freguesia de Silva Escura, concelho de Sever do Vouga.

Qualquer explorador ficaria maravilhado com a Cascata da Cabreia, com 25 metros de altura. Só estando lá, sentindo a poalha no rosto, é que se consegue apreciar a frescura desta queda de água. Os trilhos de Pequena Rota que ali têm início (PR 2.1, PR 2.2 e PR 2.3) são um convite para os exploradores de hoje. Caminhantes, percam-se na vegetação luxuriante que envolve a cascata, descubram a biodiversidade característica do rio Mau, não tenham medo de estar em comunhão com a Mãe Natureza.

Se preferirem descansar, leiam um livro à sombra de uma das muitas árvores frondosas que acompanham o leito do rio. O Parque da Cabreia é um dos locais mais limpos que conhecemos, apesar de ser um sítio onde se fazem piqueniques.

Nos painéis que se encontram à entrada do Parque pode ler-se: "A cascata da Cabreia é uma das mais belas cascatas da Rota da Água e da Pedra... O melro-de-água é o guardião desta cascata. O bosque de ribeira constitui-se aqui como uma galeria contínua de árvores, com amieiros, freixos e borrazeira-preta acompanhados por um sub-bosque rico em fetos e arbustos, entre os quais se destacam o feto-real, a gilbardeira e o raríssimo feto-vaqueiro; esta espécie é prioritária para a conservação na Europa, constituindo uma relíquia dos bosques subtropicais que outrora cobriam a região. A lontra encontra aqui condições excecionais para se desenvolver. Entre os invertebrados, destaque para a protegida vaca-loura, escaravelho de grande porte que se desenvolve nos carvalhais maduros. Finalmente, encontramos facilmente endemismos ibéricos como a salamandra-lusitânica, o tritão-de-ventre-laranja e o lagarto-de-água. A salamandra-de-pintas-amarelas é também muito frequente nos bosques caducifólios junto ao rio Mau, onde se alimenta de lesmas e pequenos insetos (...)".

O "ONDAS DA SERRA" aconselha a visita a este parque nas quatro estações do ano. No verão dá para dar uns belos mergulhos, mas, no outono, o tapete de folhas douradas parece um poema caído do céu. Vão ver com os vossos próprios olhos...

TEXTO e FOTOS: Fernando Pinto

 

  

 

O "Ondas da Serra" percorreu um dos trilhos da Cabreia (PR 2.3). Conheça algumas das histórias desta região contadas por um ancião (veja aqui o artigo). 

Clique neste outro link para ver o texto e o vídeo PR1 - Sever do Vouga - Minas da Malhada e do Braçal.

Lida 1224 vezes

Autor

Fernando Pinto

Fernando Manuel Oliveira Pinto nasceu no dia 28 de junho de 1970, em Ovar. Jornalista profissional, fotógrafo e realizador de curtas-metragens de vídeo. Escreve poesia e contos. A pintura é outra das suas paixões. Colaborador do "Ondas da Serra".

Itens relacionados

São João de Fontoura na Rota dos Cerejais

Os vastos horizontes que se têm aberto ao Ondas da Serra levaram-nos para fora de Aveiro para ver outras maravilhas do nosso país, desta vez fomos até São João da Fontoura em Resende, para degustarmos a sua Rota dos Cerejais.

Caldas de São Jorge | Terra de mártir, poesia, rio e águas termais

Caldas de São Jorge é uma freguesia de Santa Maria da Feira, bastante conhecida pelas suas águas termais, mas que tem outras riquezas à espera de serem descobertas.

Mansores terra fértil de levadas

A caminho de Arouca já passamos inúmeras vezes por Mansores, mas nunca paramos nesta terra. Desta vez a pretexto de fazermos o PR11 - trilho das levadas, subimos à Nª Srª do Rosário, no lugar da Vila, onde contemplamos os vales e montanhas que se estendiam em redor.

Faça Login para postar comentários
Pub