Alunos da secundária distinguidos por poema sobre o holocausto Menção Honrosa Escola Secundária de Oliveira do Bairro

Alunos da secundária distinguidos por poema sobre o holocausto

Classifique este item
(0 votos)

Concurso contou com 150 escolas em competição

Três alunos da Escola Secundária de Oliveira do Bairro receberam uma Menção Honrosa pela sua participação no Concurso “Contar o Holocausto”, promovido pelo Ministério da Educação e pela associação Memoshoá.

A cerimónia de entrega de prémios decorreu em Lisboa, na Fundação Calouste Gulbenkian, no passado dia 29 de novembro, onde estiveram Alexandre Melo Mota, Diogo Martins Ribeiro e Mário João Pereira Lopes, alunos da Escola Secundária de Oliveira do Bairro (ESOB), que foram convidados a apresentar publicamente o poema com que concorreram ao concurso.

A acompanhar os alunos, para além do Professor António Travassos, que os orientou no trabalho e na candidatura, e de outros elementos do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro, esteve a Vereadora da Educação Lília Ana Águas, que se mostrou “bastante orgulhosa do trabalho e da distinção” alcançada pelos alunos do seu Município, fazendo questão de felicitar os jovens mas também os professores e toda a comunidade escolar concelhia, pelo “excelente trabalho que têm realizado e pelos sucessivos prémios e reconhecimento que têm alcançado, a nível nacional e internacional, em áreas que vão da Literatura ao Desporto, passando pela História e Ciência”.

A cerimónia contou com a presença de Carmelo Rosa, representante da Fundação Calouste Gulbenkian, Esther Mucznik, presidente da Memoshoá, Marçal Grilo, em representação do Júri do Concurso, e Eulália Alexandre, Subdiretora da Direção Geral da Educação.

O concurso escolar “Contar o Holocausto”, destinado a alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário, foi promovido pela Memoshoá – Associação Memória e Ensino do Holocausto (Memoshoá), em parceria com a Direção-Geral da Educação (DGE), e teve como objetivos promover a aprendizagem do Holocausto e de outros genocídios, promover a reflexão sobre o valor da Democracia, valorizar a importância da aceitação do outro, respeitando as suas diferenças, valorizar a memória histórica coletiva e individual e estimular nos jovens diferentes formas de comunicação, a sensibilidade estética e a criatividade.

Participaram no concurso 150 Escolas do Ensino Básico e Secundário de todo o país, continente e ilhas, incluindo uma de Moçambique e outra de França, num total de 743 alunos e 253 professores envolvidos, de áreas tão diversas como História (o maior número), Português, Artes, Filosofia, Geografia, Psicologia, Área de Integração, Moral, entre outras.

O número de trabalhos enviados a concurso atingiu os 293, nos mais variados formatos e suportes, desde a banda desenhada, quadros, esculturas, diários, poemas, web site, videojogos, vídeos, peças de teatro, textos de ficção, ensaios, etc.

O 1.º Prémio foi atribuído ao trabalho em Banda Desenhada “Emuná (Fé)”, de alunos da Escola Secundária da Amadora, que foram premiados com uma viagem ao campo de Auschwitz/Birkenau. A 1.ª menção honrosa e Prémio Especial do Júri foi atribuída ao quadro “Train numéro 813”, da Escola Secundária António Arroio, a 2.ª Menção Honrosa foi atribuída ao web site “Holocausto”, da Escola EB 2.3 José Relvas, de Alpiarça, e a 3.ª Menção Honrosa foi atribuída ao já referido poema “Vi o teu rosto”, da Escola Secundária de Oliveira do Bairro.

O júri que apreciou os trabalhos foi composto por Eduardo Marçal Grilo, ex-Ministro da Educação, por Isolina Frade, em representação da DGE, pela jornalista do Expresso Luciana Leiderfarb,  por Luísa Godinho, em representação da Memoshoá, e por Maria Manuel Castro, estudante da Faculdade de Letras de Lisboa.

 

Poema "Vi o teu rosto"

Escola Secundária Oliveira do Bairro

Alexandre Melo Mota (10º ano)

Diogo Martins Ribeiro (10º ano)

Mário João Pereira Lopes (10º ano)

Prof. António Travassos

​​

Vi o teu rosto, e estremeci…

Vi o teu rosto na Estrela de David,

que te pesava no ombro,

e na curva do teu corpo,

que suportava todas as humilhações.


Vi o teu rosto na noite…na Noite de Cristal…
e em todas as noites que se seguiram.
O teu rosto iluminado pela dúvida e pelo medo.
Nas interrogações de tantos rostos, cansados,
fechados dentro de carruagens,
embalados pelo movimento dos comboios.
Comboios, comboios e mais comboios…
Rostos, rostos e mais rostos…


Vi teu rosto presente no Gueto de Varsóvia,
em Dachau, Treblinka, Belzec, Chelmno, Bergen-Belsen…
Na tua inquietação ao chegares a Auchwitz.
“Arbeit macht frei”
Na multidão de olhares vazios, perdidos, separados,
no inferno das câmaras de gás,
no abismo das valas comuns,
no fumo a sair das chaminés dos crematórios…
Rostos, rostos e mais rostos…


Vi o teu rosto no dia da libertação,
(eu que durante muito tempo tive medo de dizer a palavra liberdade).
Vi o teu rosto nos abraços, nos sorrisos, nas lágrimas…
Nas memórias presas ao arame farpado.
No teu regresso a casa e na procura do teu futuro…


“Oh Jerusalém!”


Vi o teu rosto no Camboja, no Kosovo, no Ruanda…
e em tantos outros rostos naufragados.


Vejo o teu rosto, e estremeço…

Lida 426 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Ondas em busca do tesouro de Trebilhadouro

Ondas da Serra foi em busca dos tesouros de Trebilhadouro, não encontramos ouro, incenso ou mirra, mas um rico percurso pedestre, o PR4, integrado na Rota da Água e da Pedra de Vale de Cambra.

Percursos pedestres em Aveiro

O nosso magnifico distrito possui dezenas de trilhos onde podemos observar a natureza, pássaros, insetos, flores, árvores e escutar um silêncio que dificilmente encontramos no meio urbano. Por vezes durante as caminhadas poderá cruzar-se com os habitantes desses locais, lembrem-se que um cumprimento e um sorriso não custam nada e fazem muito bem. Nós temos falado com pastores, pescadores, idosos e feirantes que sempre nós ensinam algo e nos relembram de outros tempos em que a sociedade estava mais unida.

Eventos Ondas da Serra

Ondas da Serra pontualmente efetua alguns eventos onde pretendemos envolver a nossa comunidade. Nós achamos ser nosso dever partilhar os nossos conhecimentos, sobre yoga, meditação, amor que temos pela humanidade, património natural e arquitetónico, animais e tradições. Defendemos um mundo melhor, onde as pessoas vivam em harmonia consigo próprias e com o universo, sem semearem a discórdia. Já fomos andar de bicicleta, de bateira na Ria de Aveiro, de barco no Rio Douro, subimos serras, mergulhamos em lagoas, fizemos yoga e meditação e partilhamos almoços em locais fantásticos. Aqui ficam alguns dos nossos momentos, não perca a oportunidade de viajar connosco.

Faça Login para postar comentários
Pub