Pág. 1 de 2

No ano da graça de 2021, partimos numa epopeia de bicicleta na demanda duma nau, que começou em Vila Nova de Gaia, navegando junto à costa atlântica do litoral norte do Porto, Matosinhos e Vila do Conde. Fomos à descoberta destas terras desconhecidos e ficamos maravilhados com os seu encanto histórico, patrimonial, ambiental e religioso, que vamos partilhar com o nosso reino.

O Ondas foi conhecer a Associação dos Amigos da Ria e do Barco Moliceiro, na Ribeira de Pardelhas – Murtosa, que tem como missão preservar as embarcações tradicionais da Ria de Aveiro, onde se destaca o barco moliceiro e ainda dar formação náutica e desportiva.

Neste artigo estivemos à conversa com o Professor Manuel Oliveira, simultaneamente Presidente da associação e formador, que nos contou a sua história, de algumas das suas relíquias históricas, o tipo de formação que dão aos sócios e estivemos a ver um Mestre a trabalhar na recuperação dum barco de recreio e fomos ver outro aparelhar um moliceiro e navegar com ele na ria.

O Ondas da Serra foi conhecer a aldeia de São João do Campo - Campo do Gerês - Terras de Bouro – Braga, situada em pleno Parque Nacional Peneda-Gerês. Neste artigo vamos dar a conhecer esta aldeia, a Albufeira de Vilarinho da Furna, os percursos pedestres da Geira Romana e da Águia do Sarilhão e uma VÍBORA que nos assustou.

Num dia que ameaçava chuva, imbuídos desta necessidade de mergulhar no interior profundo de Portugal, fomos conhecer Manhouce, do concelho de São Pedro do Sul e distrito de Viseu. Pelos seus caminhos percorremos o PR1 - Rota de Manhouce, conhecemos algumas das suas aldeias e tivemos um vislumbre das riquezas naturais do Maciço da Gralheira.

O Ondas da Serra foi visitar Couto de Esteves em Sever do Vouga para conhecer o PR7, trilho da Agualva. As nossas espectativas não saíram goradas e fomos encontrar um percurso diversificado com muitos pontos de interesse, onde predomina a natureza, levadas, albufeiras e bonitas aldeias ainda habitadas por algum povo.

Em 2018, debaixo duma forte borrasca, com grossos mares a fustigar-nos a alma, embarcarmos rumo aos novos Passadiços da Ria de Aveiro. A autarquia aproveitando as potencialidades da Ria, construiu uma via pedonal e ciclável, que coloca o visitante em contacto direito com a laguna, fauna e flora duma forma harmoniosa. Regressamos em 2022, aproveitando a bonança para navegar pelas suas riquezas, descobrir novas terras, que reclamamos para o nosso povo e as vamos apresentar, desta feita com a bênção dos outrora irados Deuses.

Pág. 1 de 2