Júlio Resende “regressa” a Anadia Júlio Resende

Júlio Resende “regressa” a Anadia

Classifique este item
(0 votos)

Obra do pintor vai estar em exposição até maio de 2018

O Museu do Vinho Bairrada, em Anadia, vai inaugurar no próximo dia 16 de dezembro, pelas 16h00, uma exposição temporária comemorativa do centenário do nascimento de Júlio Resende, fruto de uma parceria do Município de Anadia com o Lugar do Desenho - Fundação Júlio Resende.

Obra de Júlio Resende“A experiência do Lugar” assim se intitula esta exposição antológica que estará patente nas salas do museu até 31 de maio de 2108, e onde ganham destaque algumas obras raras do artista, nomeadamente uma reprodução do fresco que realizou, em 1966, para o Tribunal da Justiça de Anadia.

Será igualmente exposta uma seleção de desenhos representativos de diferentes períodos e técnicas de Júlio Resende, num total de 50 originais do acervo da coleção do Lugar do Desenho – Fundação Júlio Resende. Em paralelo, serão exibidos dois filmes sobre a vida e obra do mestre.

BIOGRAFIA DE JÚLIO RESENDE (fonte: www.lugardodesenho.org)

1917 Júlio Resende nasce no Porto a 23 de Outubro
1930/36 Pratica ilustrações e Banda Desenhada para jornais e publicações infantis.
Frequenta a Academia Silva Porto na disciplina de desenho e da pintura.
1937 Frequenta a Escola de Belas-Artes do Porto e é discípulo de Dórdio Gomes.
1943 Participa na organização do "Grupo dos Independentes".
Primeira exposição individual no Salão Silva Porto.
Casa-se com a colega de escultura, Maria da Conceição Moutinho.
1944 Exerce docência no ensino secundário.
1945 Conclui o Curso na Escola de Belas-Artes com a pintura "Os Fantoches".
Visita o Museu do Prado. Tem em Madrid um encontro com Vasquez Diaz.
Obtém os prémios da Academia Nacional e "Armando de Bastos".
1946 Nascimento da filha Marta.
Bolsa de estudo no estrangeiro (França e Itália) do "Instituto de Alta Cultura".
Primeira exposição em Lisboa.
1947/48 Estuda as técnicas de afresco e gravura na Escola de Belas-Artes de Paris.
Discípulo de Duco de La Haix. Frequenta Academia Grande Chaumière tendo como professor Othon Friesz.
Copia Velasquez, Goya, Brugel etc. no Museu do Louvre.
Visita os museus da Bélgica, Holanda, Inglaterra e Itália.
1949/50 Professor na pequena escola de cerâmica em Viana do Alentejo, Alentejo.
Contactos com o escritor Virgílio Ferreira e com os artistas Júlio e Charrua.
Em Lisboa conhece Almada Negreiros e Eduardo Viana.
Primeira viagem à Noruega onde é hóspede de Oddvard Straume. Permanência em Orstavik.
1951 Em Portugal fixa-se no Porto mantendo actividade docente no ensino secundário.
A gente do mar passa a constituir tema dominante da pintura.
Prémio Especial na Bienal de S. Paulo.
1952 Prémio na 7ª Exposição Contemporânea dos Artistas do Norte. Permanece um mês na Noruega.
Executa o afresco da Escola Gomes Teixeira, Porto.
Investiga o desenho infantil.
1953 Cria as "Missões Internacionais de Arte", a primeira das quais ocorreu em Trás-os-Montes.
1954 Leciona na Escola Secundária da Póvoa de Varzim.
1955 Promove a segunda "Missão Internacional de Arte", na Póvoa de Varzim.
1956 Integrado na equipa do Arq. João Andersen para o projecto "Mar Novo", Sagres, que obtém o Primeiro Prémio em concurso internacional.

Prémio "Artistas de Hoje", Lisboa.
Conclui o curso de Ciências Pedagógicas na Universidade de Coimbra.
1957 Organiza a exposição "4 Artistas Portugueses" em Oslo e Helsínquia. 
Segundo prémio de Pintura da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.
1958 Executa um painel para a "Exposição Internacional de Bruxelas". 
Prémio "Columbano" da Câmara Municipal de Almada.
Promove a 3ª "Missão Internacional de Arte", Évora.
Convidado para a docência na Escola de Belas-Artes do Porto.
Executa vários painéis de azulejo para a estação de fronteiriça de Vilar Formoso.
1959 Menção Honrosa na 5ª Bienal de S. Paulo.
Cria dois painéis cerâmicos para o Hospital de S. João, Porto.
Executa oito painéis de azulejo para a pousada de Miranda do Douro.
1960 Prémio "Diogo de Macedo" no Salão de Arte Moderna do SNBA, Lisboa. 
Painel cerâmico para a Pousada de Bragança.
1962 Presta provas públicas para a Cadeira de Professor na Escola Superior de Belas-Artes do Porto.
Mural afresco no Palácio de Justiça do Porto.
1964 Executa cinco painéis cerâmicos para obras de arquitetura.
1965 Cria cenários e figurinos para o "Auto da Índia" de Gil Vicente, encenação de Carlos Avilez para o TEP, Porto.
1966 Realiza um afresco para o Tribunal de Justiça em Anadia.
1967 Cria cenários e figurinos para "Fedra" de Racine, encenação de Carlos Avilez para o Teatro Experimental de Cascais.
1968 Ilustra "Aparição" de Virgílio Ferreira. 
Realiza cenário e figurinos para o bailado "Judas", coreografia de Águeda Sena e Companhia de Bailado da Fundação C. Gulbenkian, Lisboa. 
1969 Prémio "Artes Gráficas" na Bienal de Artes de S. Paulo, com ilustrações do romance "Aparição". 
Cria cenários e figurinos para o "Auto da Alma" de Gil Vicente no TEP, Porto.
Realiza seis painéis em grés para o Palácio de Justiça de Lisboa.
1970 Orientação visual e estética do espetáculo de Portugal na "Exposição Mundial de Osaka".
Cria cenários e figurinos para "Antígona" no Teatro Experimental de Cascais.
1971 Primeira viagem ao Brasil encontrando-se entre outros com Jorge Amado e Mário Cravo Filho.
1972 Nomeado Membro da Academia Real das Ciências, Letras e Belas-Artes Belgas, Bruxelas, onde fez uma comunicação.
1973 Ilustra a obra de Fernando Namora "Retalhos da Vida de um Médico". Nova viagem ao Brasil. 
Recebe o grau de Oficial da Ordem de Santiago da Espada.
1974 Exerce funções de gestão na ESBAP.
Realiza cenário para o filme "Cântico Final" de Manuel Guimarães, adaptação do romance de Virgílio Ferreira.
1975/76 Dedica-se a tempo inteiro à gestão da ESBAP.
1977 Viagem ao Nordeste Brasileiro. Encontro com os artistas brasileiros Sérgio Lemos e Francisco Brennand.
1979 Nascimento do neto Daniel.
1978 Cria cenários e figurinos para o bailado "Canto de Amor e Morte" coreografia de Patrick Hurde, inspirado na obra musical de Lopes Graça para a Companhia Nacional de Bailado.
Visita às Faculdades de Belas-Artes de Espanha.
1981 Executa os vitrais para a Igreja Nª Sª da Boavista, Porto.
Viagem a Pernambuco e Baía. Profere uma palestra na Fundação Joaquim Nabuco, Recife.
1982 Recebe as insígnias de Comendador de "Mérito Civil de Espanha" atribuídas pelo Rei de Espanha.
1984 Realiza o painel mural "Ribeira Negra".
1985 É-lhe atribuído o Prémio AICA.
1986 Executa em grés o grande mural "Ribeira Negra" no Porto.
1987 Profere a última lição na ESBAP.
1989 Exposição retrospetiva na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.
1992 Viagem a S. Vicente e Stº Antão (Cabo Verde).
1993 Casa-se com Maria Zita Leão.
É criado o "Lugar do Desenho - Fundação Júlio Resende".
1994/95 Realiza painéis cerâmicos para a estação do Metropolitano de Lisboa, "Sete Rios".
1996 Viagem a Goa
1997 Viagem a Santiago e Fogo (Cabo-Verde).
Recebe a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.
Realiza a decoração de azulejos da estação do Metropolitano de Lisboa, "Sete Rios".
Inauguração da sede do “Lugar do Desenho a 23 de Outubro com a presença de Sua Excelência o Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio.
1999 Viagem à Ilha de Moçambique.
2000 Viagem a Recife, Brasil.
2001 Exposição retrospetiva, Galeria Nave dos Paços do Concelho, Matosinhos.
2007 Alfândega do Porto, exposição antológica dos seus 90 anos com a presença do Presidente da República Prof. Aníbal Cavaco Silva.
É homenageado na XIV Bienal Internacional de Arte de Vila Nova de Cerveira 
2009 Divorcia-se de Maria Zita Leão.
2010 O painel “Ribeira Negra” ganha espaço permanente na Alfândega do Porto
2011 Morre aos 93 anos de idade a 21 de Setembro na sua casa em Valbom, Gondomar.

Lida 522 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Os Amigos da Tasca Centenária e da música popular Portuguesa

Em Cabomonte – São Miguel de Souto, na Tasca Centenária da Marçalina, um grupo de amigos reuniam-se em convívio à volta das cartas, dos petiscos e das brincadeiras. Com o tempo trouxeram instrumentos, os cantares ao desafio e a vontade de formarem um grupo musical. Desta forma simples nasceu o conjunto “Os Amigos da Tasca Centenária”, composto por seis músicos e uma cantadeira que perpetuam a nossa memoria coletiva com as suas vozes e melodias tradicionais.

Caldas de São Jorge | Terra de mártir, poesia, rio e águas termais

Caldas de São Jorge é uma freguesia de Santa Maria da Feira, bastante conhecida pelas suas águas termais, mas que tem outras riquezas à espera de serem descobertas.

Intermarché de Ovar conta a história da cidade em azulejo português

Um supermercado já não é apenas um espaço comercial que vende produtos de consumo corrente. Oferecer cultura local em azulejaria portuguesa enquanto vai às compras é reconhecer que a experiência de cliente do século XXI não termina nas caixas registadoras. Por isso é que o Intermarché de Ovar lhe conta a história da cidade num projeto assinado por Marcos Muge.

Pub