A Ecopista do Dão é uma das mais icónicas de Portugal pela sua grandeza em beleza e extensão. Este percurso fez renascer o sangue que outrora fervilhava por intermédio das locomotivas a vapor que resfolegavam pela Linha Ferroviária do Dão, que foi morta mas renasceu. Se havia choro pela sua partida, agora há júbilo pela sua chegada e até parece que se ouvem os apitos dos comboios há muito calados. O seu trajeto passa por três cidades do interior, Santa Comba Dão, Tondela e Viseu e outras lindas terras rurais. Aqui há pontes de meter medo, algumas até projetadas por homens ao serviço de Gustave Eiffel. Neste artigo tentamos fazer um exaustivo levantamento dos seus dados técnicos, históricos e regionais, com destaques para o património natural e arquitetónico. Desta forma esperamos ajudar os nossos leitores, amantes das bicicletas e caminhadas, a planear a viagem e saberem de antemão o que podem ver e escolher o que vão explorar com mais detalhe.  

O PR1 - Rota de Manhouce, começa nesta freguesia do concelho de São Pedro do Sul, distrito de Viseu. Este percurso pedestre é caracterizado por circular pelo Maciço da Gralheira, com grande beleza paisagística, riqueza natural e arquitetónica. Neste percurso destacamos as bonitas e rurais aldeias de montanha, com muito casario em xisto, Manhouce, Gestosinho, Bondança, Salgueiro, Malfeitoso e Lageal. Outros motivos de interesse valorizam esta aventura, a ribeira de Manhouce, calçada e ponte romana e Poço da Silha no rio Teixeira. Por entre a bruma matinal poderá deparar-se com gado a ruminar da raça arouquesa. Conforme a época do ano, poderá encontrar os seus habitantes nos seus afazeres agrícolas. As cantigas e cantos de Manhouce deram fama a esta recôndita terra do interior, que as eternizou na pedraria das suas construções.  

A Cascata do Poço Negro, fica localizada na aldeia de Sernadinha, em Manhouce, sendo uma das mais belas e profundas do distrito de Viseu. Este idílico paraíso é banhado pelo Rio Teixeira. Apesar dos acessos serem difíceis em comparação com outras, o esforço é menor e a recompensa maior. No Verão os jovens procuram esta cascata para se lançarem das alturas em saltos vertiginosos para o negro profundo. Para os amantes destas aventuras este é sem dúvida um local a conhecer.