quarta, 05 abril 2017 15:00

CMOvar vai Requalificar Largo Almeida Garrett

Classifique este item
(0 votos)

Investimento de 300 mil euros representará melhor qualidade de vida no centro urbano de Ovar

A Câmara Municipal de Ovar vai requalificar o Largo Almeida Garrett, tendo o projeto de execução e o lançamento do respetivo concurso publico, sido aprovados na última reunião de câmara. Avaliado em 300 mil euros, este projeto proporcionará melhor qualidade de vida no centro urbano de Ovar, com esta requalificação urbanística no mais antigo jardim público de Ovar.

Com uma área de quase 9 000 m2, esta empreitada de requalificação engloba a renovação de todo o pavimento interior do jardim, a renovação da iluminação com melhor eficiência energética e a aplicação de novo mobiliário urbano, por forma a melhorar significativamente as condições de fruição do espaço público, beneficiando a travessia dos peões e a fruição do local por toda a população. Serão ainda melhorados os acessos pedonais para pessoas com mobilidade reduzida. De referir que o espaço será dotado de contentores de dejetos para animais e será aumentado e melhorado o parque infantil, bem como será criada uma zona de estar com mesas e cadeiras, garantindo maior apoio a esta estrutura, onde os acompanhantes das crianças poderão permanecer mais comodamente.

A arte urbana associa-se à renovação do largo, através da escultura da autoria do artista João Antero, com uma presença marcante, com a qual se faz, agora de forma permanente, a homenagem do Município aos Combatentes do Ultramar.

 

Recordar o Largo Almeida Garrett

Recorda-se que este Largo foi construído na viragem do século XIX para o século XX – e denominava-se Largo Mártir de S. Sebastião - e o desenho dos percursos pedonais e canteiros, manteve-se praticamente inalterado até aos nossos dias, embora o edificado a Norte, Nascente e Poente, tenha sofrido uma drástica alteração e densificação, nas décadas de oitenta e noventa do século passado, com a construção de edifícios de habitação multifamiliar, comércio e serviços. Trata-se de uma área densamente povoada, na entrada da cidade de Ovar, a carecer de intervenção de requalificação urbana, quer no espaço público quer privado.

No final do século XIX até meados do século XX, localizavam-se na sua envolvente algumas das mais significativas unidades industriais de Ovar, que davam emprego a uma larga percentagem da população da então vila, com especial destaque para a fábrica de conservas “Luso-Brasileira”, posteriormente passou a ser designada por “A Varina”.

Nos dias de hoje, é diariamente frequentado por moradores na sua área envolvente, mas também por um significativo número de pessoas, que procuram os estabelecimentos comerciais aí existentes, a Repartição de Finanças instalada num dos edifícios a norte, ou ainda a estação dos caminhos-de-ferro de Ovar localizada na proximidade, cuja praça será também, a curto prazo, objeto de importante requalificação.

 

Associativismo Social | Mais de 239 mil euros para 32 Associações

Na última reunião de Câmara foi também deliberado atribuir, no âmbito do associativismo social, 239.004,06 euros às 32 Associações do concelho que desenvolvem a sua atividade na área da intervenção social e de apoio à comunidade, reconhecendo o trabalho “determinante e insubstituível que prestam à população, em especial junto de quem mais precisa, partilhando o nosso objetivo de construir um território mais coeso e com valores”, afirma Salvador Malheiro, presidente da Câmara Municipal de Ovar. 

De sublinhar que estes apoios são concedidos ao abrigo do Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo do concelho de Ovar representam apoios à atividade regular, à atividade e ao investimento. O presidente da autarquia recorda que “desde a nossa tomada de posse que decidimos ser parceiros do nosso movimento associativo. Estas instituições desenvolvem um trabalho de proximidade que merece o nosso total apoio.”

Lida 373 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Arouca | Frecha da Mizarela - Uma das maiores cascatas de Aveiro

A Frecha da Mizarela foi esculpida na Serra da Freita em Arouca, perto da aldeia de Albergaria da Serra, onde o Rio Caima despeja brutalmente e destemido as águas no abismo.

O Vale Mágico

“… cercado de montanhas de formas extravagantes, não é fácil descortinar em Portugal outro mais grandioso e espectacular. Quase não tem planos.

A terra é verde e o céu é azul; é tudo verde e azul com raras pintas brancas do casario, que mais do que moradias de homens parecem janelas da própria paisagem.

Nas noites de luar, quando o grande balão de oiro surge na lomba das montanhas, o vale enche-se de magia, dum sortilégio que paira desde os píncaros longínquos às águas sussurrantes do Caima. De manhã é o milagre, todos os dias há um milagre de luz sobre a terra quando o sol nasce em Vale de cambra.

(Ferreira de Castro)

S. João da Madeira recebe II Encontro da Rede Portuguesa de Turismo Industrial

Encontro em S. João da Madeira, nos dias 5 e 6 de abril | Turismo industrial dá passos para formalizar rede nacional | Programa inclui apresentação da Norma Portuguesa da Qualidade do Turismo Industrial

Os promotores de programas de turismo industrial em Portugal estão a dar passos firmes no sentido de formalizarem a rede que já os une e que marcou encontro para o edifício da Torre da Oliva, em S. João da Madeira, nos dias 5 e 6 de abril.