Descobrindo Válega e Avanca por Percursos de Bicicleta Percurso de bicicleta entre Válega e Avanca Ondas da Serra
terça, 03 julho 2018 20:31

Descobrindo Válega e Avanca por Percursos de Bicicleta Destaque

Classifique este item
(3 votos)

Fomos fazer um percurso de bicicleta por Válega e Avanca, para podermos conhecemos um pouco melhor estas bonitas terras. Neste percurso destacamos a Igreja de Nª Srª do Amparo, em Válega, pela beleza dos seus painéis de azulejos, a Casa-Museu Egas Moniz, onde viveu o médico que ganhou um prémio nobel da medicina, a moderna Capela Paroquial de Santa Luzia, com a sua alta torre sineira, percurso do rio Gonde, que desagua na Ria de Aveiro e Estação de Caminhos de Ferro, em Avanca, com painéis de azulejos que retratam a cultura e tradições populares. Estas duas localidades pertencem aos concelhos de Ovar e Estarreja e possuem um forte cariz rural, marcado por caminhos ancestrais, antigas quintas e lugares que remetem para um passado ligado à lavoura. 

Percurso de bicicleta entre Válega e Avanca

Iniciamos esta viagem junto da Igreja de Nª Sr.ª do Amparo em Válega e fomos depois pela Rua Ponte de Pedra, perto da linha do norte da CP e do viaduto da Avenida D. Maria II em Ovar. Pedalamos alguns quilómetros em direção a sul, pela Rua do Afreixo, por um caminho de terra batida, sempre com a linha férrea pelo nosso lado direito. A dada altura perto do apeadeiro de Válega tivemos que passar para o outro lado da linha e continuamos em direção a sul, mas agora com a linha pelo nosso lado esquerdo.

Igreja Nossa Senhora do Amparo - Válega - Ovar

Igreja Nossa Senhora do Amparo - Válega - Ovar

Começamos este percurso junto da Igreja Nossa Senhora do Amparo - Válega, uma das mais belas do país. Neste belo templo, apreciamos os seus magníficos azulejos, que nos contam passagens da bíblia. “A atual igreja de Válega é de arquitetura extremamente simples, em estilo moderno. Não tem naves. É um templo bem proporcionado, e pode comportar cerca de 3.000 pessoas… A fachada está voltada para o mar, e nela se vê, acima da porta principal a imagem da Padroeira, Nossa Senhora do Amparo, em pedra de Ançã. É cercada pelo adro que em tempo serviu de cemitério paroquial e atualmente se encontra arruado e, desde 1912 arborizado.

O coro, sustentado por um arco abatido, já em 1886 se encontrava em condições de pouca solidez, em virtude do grande vão… Tem cinco altares, que a devoção dos fieis conserva sempre adornados com decência e até certos luxos. Em todos se nota a mesma sobriedade de linhas que revelam um artista pouco pretensioso, mas dotado de boa estética”, OLIVEIRA, Miguel de. Válega: Memória histórica e descritiva. Ovar, 1981.

O espantalho motard de guarda num terreno de Válega

Percurso de bicicleta entre Válega e Avanca - Espantalho brincalhão

Como já o dissemos em outros artigos estas explorações permitem-nos sempre descobrir motivos novos e olhar para os que já são conhecidos de forma diferente. Se não fosse assim não tinham visto o espantalho, vestido de motard, como seu casaco de cabedal, capacete, a serrar lenha e com o seu “palhinhas” ao lado para matar a sede. Este motoqueiro aposentado estava a guardar a lenha do seu criador, para os amigos do alheio no inverno não se aquecerem às suas custas. Ao lado foi pintada grosseiramente com tinta vermelha, uma sugestiva placa de aviso, “Quem vai, vai, quem está, está, obrigado”. Sabedoria popular feita duma forma criativa e muito humorística a pedir para respeitarem o que é dos outros.

Casa-Museu Egas Moniz - Avanca - Estarreja

Casa-Museu Egas Moniz - Avanca - Estarreja

Num caminho perto da lLnha Norte da CP, em Válega, vimos também um armazém de iluminações festivas, o que não deixou de dar um ar de fantasia ao percurso. Descobrimos em Avanca o percurso do Rio Gonde, fomos ainda ver a fachada da Casa-Museu Egas Moniz e perto da mesma a Igreja de Santa Luzia. Posteriormente aproveitamos esta informação para fazer artigos sobre o percurso atrás referido e a estação de Avanca. Avanca e Válega são terras de agricultores e por todo o lado se sente, cheira e vê os agricultores a trabalhar com as suas ferramentas, conduzindo animais ou tratores. No céu águias e cegonhas são rainhas e espreitam com a sua apurada visão, os trabalhos destes homens, na oportunidade do rebuliço da terra por a descoberto ou fazer fugir um rato, coelho ou inseto.

Capela Paroquial de Santa Luzia - Avanca- Estarreja

Capela Paroquial de Santa Luzia - Avanca- Estarreja

A Capela da Paroquia de Santa Luzia, em Avanca, situada próximo da Casa-Museu Egas Moniz, fica localizada na rua com o mesmo nome. Neste tempo de arquitetura moderna, destaca-se a torre com uma altura considerável e numa zona mais inferior painel de azulejos com uma pintura da padroeira. Como esta é a Santa da boa visão será para os crentes testarem se estão bem dos olhos localizando esta imagem, caso não o consigam terão que pedia a sua intervenção divina.

História da Estação de Caminho de Ferro de Avanca

Estação de Caminho de Ferro de Avanca

Esta freguesia é servida pela Linha do Norte, cujo troço Porto-Aveiro foi inaugurado e aberto ao público em 7 de Julho de 1865. Em 1887, graças à ação do notário João Pacheco Godinho de Castro Côrte-Real (da Casa do Freixeiro e aparentado com o Conselheiro José Luciano de Castro), foi inaugurado um apeadeiro, no lugar de Paredes e junto à estrada que vai a Pardilhó. Este notável melhoramento, não só veio beneficiar esta freguesia, como também a sua vizinha de Pardilhó.

Em 1929 o antigo apeadeiro foi elevado a estação de 3ª classe, sendo construído um magnifico edifício, decorado com painéis de azulejos relativos a paisagens, motivos, tipos e figuras de Avanca e Pardilhó. Entre estes, encontra-se, na fachada ocidental do edifício, um retrato de João Pacheco de Castro Côrte-Real, como prova de gratidão do povo da freguesia.

A estação, que é dotada dum armazém e de um longo cais de embarque, tem grande movimento de passageiros e, sobretudo, na sua maioria parte de artigos da industrial local (lacticínios e moveis de ferro)”.  CARDOSO, Carlos. Subsídios para uma Monografia Histórica e Descritiva da Freguesia de Avanca. 1961. 150 f. Dissertação (Dissertação de exame de licenciatura em Ciências Histórico-Filosóficas) - Faculdade de Letras, Universidade Coimbra, Coimbra, 1961.

Os ricos e abandonados painéis de azulejos da Estação de Caminho de Ferro de Avanca

Estação de Caminho de Ferro de Avanca - Painel de Azulejos do Poeta Popular Marques Sardinha

No trabalho académico acima mencionado é referido que os painéis de azulejos da estação retratam figuras de Avanca, uma das mais conhecidas é o poeta popular José Marques “Sardinha”, “Os últimos grandes cantadores populares de Portugal, descendentes dos bardos e menestréis medievais, desapareceram na década de 40 do século passado, entre muitos deles o António Aleixo de Loulé e o Marques Sardinha de Avanca. Deixaram poucos discípulos, alguns emigraram e levaram a arte do verso popular para os países de acolhimento. Uns regressaram, outros não.” FREIRE, António de Abreu; AMÂNCIO, Geraldo. Festcordel: A festa do verso encantado. 1. ed. [S.l.: s.n.], 2018. 49 p.

Temos que chamar atenção para a preservação deste património e referir que muitos destes azulejos já estão danificados. Este local também necessita de limpeza e remoção das ervas em redor. Sabemos que pode ser difícil, mas os responsáveis pela estação devem criar condições para não se degradarem mais.

Outros pontos de interesse perto da Estação de Caminho de Ferro de Avanca

Uma sugestão de passeio é viajar de comboio, onde pode trazer a bicicleta, sair e visitar esta estação, a Casa-Museu Egas Moniz, o percurso do Rio Gonde que começa precisamente no interior do museu atrás referido. Este trilho termina na Ribeira do Mourão, local muito bonito e onde pode retemperar as forças no parque de merendas ali existe, apreciando a paisagem bucólica da Ria de Aveiro.

Percurso do Rio Gonde até à Ria de Aveiro em Avanca 

Percurso do Rio Gonde - Avanca - Estarreja

O Percurso do Rio Gonde até à Ria de Aveiro em Avanca começa no interior da Casa-Museu Egas Moniz, em Avanca - Estarreja e deve o seu nome ao rio que o acompanha e desagua na Ria de Aveiro. O mesmo tem como principais atrativos este museu, onde viveu o médico, que ganhou um prémio nobel, os seus belos jardins, o Rio Gonde, Moinho das Meias e a requalificada Ribeira do Mourão, uma das mais bonitas, tranquilas e rica na fauna e flora, da ria ex-libris deste distrito. 

Galeria de fotos do percurso de bicicleta por Válega e Avanca 

Lida 1153 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Melhores ciclovias ecopistas ecovias no Norte de Portugal

As pessoas estão de regresso à natureza, procurando trilhos para fazer a caminhar ou de bicicleta. Por esta razão ao longo dos anos temos vindo a explorar as melhores Ciclovias, Ecopistas e Ecovias do Norte de Portugal. Esta demanda das pessoas levou à criação de belos percursos, que atravessam locais magníficos, junto de rios, rasgando serradas montanhas, tocando o céu ou beijando o mar. Em alguns casos por onde resfolegava comboios a vapor, agora gritam crianças caminhando ao lado dos pais ou pedalando forçosos grupos de ciclistas, trazendo vida a terras que já estavam esquecidas pelo tempo. Neste artigo mostramos-lhe algumas das nossas aventuras por estes trilhos e como fomos felizes a percorrer algumas das mais icónicas e premiadas.

Parta de bicicleta do Porto à descoberta de Vila do Conde

No ano da graça de 2021, partimos numa epopeia de bicicleta na demanda duma nau, que começou em Vila Nova de Gaia, navegando junto à costa atlântica do litoral norte do Porto, Matosinhos e Vila do Conde. Fomos à descoberta destas terras desconhecidas e ficamos maravilhados com o seu encanto histórico, patrimonial, ambiental e religioso, que vamos partilhar com o nosso reino.

Ecopista do Tâmega | Um calmo e belo percurso junto ao rio

O Ondas da Serra foi até Amarante percorrer a ecopista do Tâmega que liga esta cidade a Arco de Baúlhe, numa extensão de 40 quilómetros, marcada pelo rio, vinhas e Alto da Senhora da Graça.