No passado sábado dia 23 de setembro 2017, pelas 13h40, fizemos uma viagem no tempo a bordo do Comboio Histórico do Vouga, entre Aveiro e Macinhata do Vouga, com paragem no regresso em Águeda. Em outras eras o tempo corria mais devagar e este tipo de transporte cruzava aldeias e estava próximo das populações. As viagens não eram tão cómodas, mas as janelas abriram-se para os passageiros sentirem o ar matinal no rosto ou o negro do entardecer.

É debruçado num varandim sobre o tempo que o Vouguinha percorre a via-férrea estreita de Aveiro. O comboio histórico tem como destino Macinhata do Vouga, no concelho de Águeda. A sua última viagem está marcada para 30 de Setembro. As três carruagens do início do século XX estarão de regresso em 2018 com a promessa de muitas mudanças.

Como tínhamos informado os nossos leitores, realizou-se na manhã de 26 de agosto o primeiro passeio de bicicleta promovido pelo ONDAS DA SERRA, o "Ondas na Ria", que deu a conhecer aos participantes alguns recantos bucólicos da Ria de Aveiro.

O nosso magnifico distrito possui dezenas de trilhos onde podemos observar a natureza, pássaros, insetos, flores, árvores e escutar um silêncio que dificilmente encontramos no meio urbano. Por vezes durante as caminhadas poderá cruzar-se com os habitantes desses locais, lembrem-se que um cumprimento e um sorriso não custam nada e fazem muito bem. Nós temos falado com pastores, pescadores, idosos e feirantes que sempre nós ensinam algo e nos relembram de outros tempos em que a sociedade estava mais unida.

A nossa equipa visitou esta semana a praia fluvial de Burgães em Vale de Cambra, um local pouco conhecido do nosso distrito e que convidamos vivamente a visitarem. Esta praia tem todas as infraestruturas necessárias para proporcionar um agradável dia sem descurar a segurança já que a mesma é vigiada por nadadores-salvadores.

Em Vale de Cambra, muito perto do centro fica situada a praia fluvial de Burgães, ontem “Ondas da Serra” foi visitar este local. Chegamos bastante cedo e ficamos um pouco admirados por a mesma ter pouca água, mas uma senhora que apanhava os primeiros raios de sol da manhã depressa nos descansou dizendo que durante a noite funcionários camarários abrem as comportas do açude ali existente e que as voltam a fechar pela manhã. Efetivamente podemos comprovar que a água subia rapidamente na praia à nossa frente.