Pág. 4 de 7

A equipa do Ondas da Serra andou a percorrer dois trilhos em Albergaria-a-Velha mais concretamente o PR1 – Rota do linho e PR2 – Rota dos três rios, tendo conhecido as aldeias de Ribeira de Fráguas, Vilarinho de São Roque, Telhadela, Palhal e alguns dos seus habitantes.

No dia 17 de junho à tarde fomos ao Parque da Cidade de Lourosa, onde estivemos à conversa com Palmira Tavares que faz parte do Rancho Folclórico “Os Malmequeres de Lourosa” e integra dois projetos de Robertos, “Os Robertos vão à escola” e “Mãos que falam”.  Para quem não sabe os Robertos são aqueles fantoches com uma voz estridente e que faz lembrar uma cana rachada. Estava previsto assistirmos a um espetáculo com os bonecos, contudo o forte calor que se fazia sentir e sucessivos adiamentos inviabilizaram a nossa pretensão, mas não foi por isso que deixamos de falar com a mesma.

Ondas da Serra quer sempre ver os rostos por detrás das cortinas onde se desenrolam as peças no teatro desta vida. Isto vem a propósito da realização da “I Corrida Solidária de Ovar”. A nossa equipa esteve à conversa com um dos seus organizadores Arlindo Fião, não nos limitamos a saber mais sobre este evento quisemos também conhecer um pouco deste homem de causas.

José Dias de Oliveira Gonçalo nasceu em 12 de janeiro de 1952 na Rua Castilho, Poço de Baixo, Ovar: "Quero reformar-me para dar trabalho aos meus colegas da Câmara Municipal, aos mais novos", diz o Sr. José Caranguejo.

Luís Miguel Oliveira Vaz nasceu em Ovar no dia 1 de março de 1973. Apaixonado pela Natureza, MIGUEL OLIVEIRA é um dos mestres da Fotografia de Paisagem em Portugal, como podem comprovar pelas belíssimas imagens que oferece aos leitores do "ONDAS DA SERRA".

Ondas da Serra nas suas explorações do percurso pedestre 2.3 - “Cabreia e Minas do Braçal”, esteve primeiro nas instalações abandonadas dumas antigas minas da Portucel, onde encontramos no chão restos do passado em forma de antigos documentos de “Guias de Amostras de Aparas” dos anos 70 do século passado. No interior por entre os escombros fomos surpreendidos pelo esvoaçar dum morcego, o animal não gostou que fossemos importunar o seu descanso. Neste local em tempos existiu um jardim bem cuidado e encontramos uma espécie que parecia a árvore da vida tal a sua imponência e majestosidade.

Pág. 4 de 7