Pão de ló de Ovar | Conheça a sua história e as fases do seu fabrico Colocação da massa do pão de ló de Ovar nas formas para ir ao forno Ondas da Serra
terça, 10 novembro 2020 22:21

Pão de ló de Ovar | Conheça a sua história e as fases do seu fabrico Destaque

Classifique este item
(1 Vote)

O Pão-de-ló de Ovar é um doce com certificação de identificação geográfica protegida, produzido na cidade vareira, do distrito de Aveiro, confecionado à base de gemas de ovo, com um aspeto disforme, que esconde um sabor delicioso, granjeando ao longo do tempo grande fama e sendo atualmente um dos maiores ex-líbris da região.

O segredo do fabrico do pão de ló de Ovar

Segundo Rui Catalão da APPO, Presidente da Associação dos Produtores de Pão de Ló de Ovar, não existe nenhum segredo na sua confeção, sendo a qualidade e mérito do produto assegurados pelo carinho, dedicação e orgulho que os produtores colocam na sua confeção.

A receita do pão de ló de Ovar 

Este doce leva farinha, açúcar, ovos, é batido, levando ou não sal, sendo cozido em fornos e vasilhas de barro próprias a uma temperatura oscilante entre 180 e 220 graus, sendo retirados quase crus, acabando por cozer na forma.

A história do nascimento deste doce

César Liz Vice-Presidente da APPO afirma que os registos apontam como nascimento do produto o séc. XVIII, Ovar não possuía um convento mas tinha um colégio de irmãs Doroteias, uma das freiras tentou fazer um doce deste tipo mas por “defeito” ele acabou por sair com o aspeto molhado que tanto o carateriza. O doce começou por ser oferecido a altas individualidades políticas e religiosas. Os vareiros que trabalhavam em Lisboa ofereciam este doce aos seus chefes conhecidos por “fragateiros”, contribuindo assim para o seu crescimento. 

Que responsabilidades tem a APPO na gestão do produto

A APPO possui o direito legal exclusivo da gestão do produto, cabendo-lhe zelar pela sua qualidade, genuinidade e acima de tudo fazer cumprir os parâmetros estabelecidos manual de certificações, onde estão inscritas todas as regras da sua confeção, apresentação e higiene. Existe também a Confraria do Pão de Ló de Ovar que foi alias fundada pela APPO e possui a responsabilidade da sua divulgação.

APPO representa a maioria dos produtores que atualmente são 10, mas nem todos aderiram à mesma, sendo que o mais antigo do concelho preferiu ficar de fora. Atualmente já existem produtores fora da sede do concelho em Esmoriz, Cortegaça e São João de Ovar. A associação presta todo o apoio aos seus membros, ajuda na sua confeção e em termos legislativos e regulamentares.  

Recentemente a União Europeia publicou no Jornal das comunidades a aprovação da denominação do produto.

Vídeo com entrevistas aos representantes da APPO e fases da confeção deste doce

Galeria de fotos com as fases da produção do doce

Lida 1016 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Casa Alentejana | Aroma e Sabor a Tradição

Por esta vez o ‘Ondas’ deixou a serra e foi ao Litoral. Estivemos em Ovar para conhecermos um local muito particular.

No centro da cidade de Ovar, na praça Largo Família Soares Pinto onde também 'mora' o icónico chafariz Neptuno datado de 1877 é onde se encontra a Casa Alentejana, um estabelecimento onde podemos comprovar a cultura gastronómica da região Alentejana em plena terra de 'Vareiros'!

Salicórnia sabor a sal do mar

Vamos relembrar novamente um dos nossos lemas “Olhar e Ver, Escutar e Ouvir”. Andávamos nós na foz do Rio Cáster perto da Ribeira de Ovar, como habitualmente para observar aves, quando vimos duas pessoas a colher algo nas margens da Ria de Aveiro, no canal de Ovar, o que seria? Como temos uma curiosidade natural e estamos sempre dispostas apreender, com educação perguntamos o que estavam a fazer. Estavam a colher salicórnia, que são também conhecidos como “sal verde” ou “espargos do mar”.

Mostra e venda de Regueifa de Santa Maria da Feira

Pão doce da Páscoa no Mercado Municipal

No próximo sábado, 24 de março, o Mercado Municipal de Santa Maria da Feira acolhe uma mostra da genuína Regueifa de Santa Maria da Feira – Pão Doce da Páscoa, que conta com a participação de 11 produtores locais. Entre as 9h00 e as 13h00, será possível degustar, comprar e encomendar esta afamada iguaria, associada à quadra pascal, num espaço emblemático da cidade, obra do arquiteto Fernando Távora.