Igreja Matriz de Santa Maria de Válega, a mais bela do país Igreja Nossa Senhora do Amparo - Válega Ondas da Serra
quarta, 28 março 2018 11:12

Igreja Matriz de Santa Maria de Válega, a mais bela do país

Classifique este item
(8 votos)

A Igreja de Válega, também conhecida por Igreja de Nossa Senhora do Amparo de Válega, a poucos quilómetros de Ovar, é seguramente uma das mais bonitas de Portugal. Este templo é oficialmente conhecido como a Igreja Matriz de Santa Maria de Válega. Esta obra imponente define-se pelos seus ricos painéis de azulejos, exteriores e interiores, onde são retratadas passagens bíblicas da religião católica. A Senhora do Amparo é a padroeira desta vila, e enche-se de vida todos os anos, no dia 15 de agosto, acolhendo muitos emigrantes que regressam a casa, para matarem saudades e participarem na romaria. Neste artigo vamos conhecer os seus zeladores, história, enumeração dos seus painéis e apresentar as suas fotos.

Igreja Matriz de Santa Maria de Válega - Igreja de Nossa Senhora do Amparo - Válega - Embelezada com belos painéis de azulejos

 Igreja Nossa Senhora do Amparo – Válega - Ovar

Na idade média, como o povo não sabia ler nem escrever, uma forma de aprenderem as passagens bíblicas era por imagens e iconografia, agravado pelo facto das missão serem feitas em Latim. Mesmo no nosso Portugal recente, dos séculos XIX e XX, ainda havia muitos analfabetos. Na nossa opinião a Igreja de Válega, também conhecida por Igreja Nossa Senhora do Amparo de Válega ou Igreja Matriz de Santa Maria de Válega, num tempo em que as pessoas não sabiam ler nem escrever, conta em imagens as maiores tradições e passagens mais conhecidas da tradição cristã, com o objetivo de impressionar os devotos e aumentar a sua fé e neste caso fâ-lo de forma sublime e cheia de beleza. Por outro lado alguns destes painéis foram oferecidos por rica gente e assim aumentarem o seu estatuto e influência.

Qualquer pessoa que seja católica, amante da fotografia ou azulejaria, deve conhecer este património religioso em particular.

Depois de admiramos o exterior da Igreja Matriz de Santa Maria de Válega quisemos visitar o seu interior, mas ela estava fechada.  Contudo, um idoso andava ali por perto a seguir-nos com atenção e descobrimos que era o seu zelador. Este homem quando soube a nossa missão prontificou-se desde logo a abrir as portas para este tesouro e a contar-nos as suas histórias.

O casal guardião da Igreja Nossa Senhora do Amparo - Válega

 Igreja Nossa Senhora do Amparo – Válega - Ovar. Zelador António Matos, 84 anos.

António Matos tem 84 anos e ajuda a esposa, Almerinda Borges, são os zeladores do edifício. Enquanto comerciante, a proximidade com a Igreja permite-lhe estar sempre atento e quando se apercebe de movimentação vai de imediato abrir as portas.

A responsável para limpeza há 33 anos

 Igreja Nossa Senhora do Amparo – Válega - Ovar. Zeladora Maria Patrício, 77 anos.

Entretanto chegou para trabalhar Maria Patrício, 77 anos, responsável pela limpeza da Igreja há 33 anos. Três vezes por semana. Já conheceu quatro párocos, Padre Pinho (já falecido), Padre Mota, Padre Tiago e o atual Padre Fernando.

O interior é ricamente trabalhado e remete o visitante para um estado de serenidade que o ajuda apreciar as belezas que o rodeiam.

Como não podia deixar de ser, e sempre que podemos subimos à torre sineira, não havia necessidade de terem batidos as duas horas mal chegámos ao cimo, o que nos deixou com os ouvidos a zunir, mas não deixou de ser uma experiência nova.

Leia também: Igreja Matriz de Santa Marinha de Cortegaça

A história da Igreja Nossa Senhora do Amparo - Válega

 Igreja Nossa Senhora do Amparo – Válega - Ovar

No local compareceu também o sacristão, Fernando Lopes. Contou-nos algumas particularidades e histórias da Igreja Nossa Senhora do Amparo, como o incêndio durante a inauguração da primeira Igreja, referido também no livro do Padre Miguel Oliveira: “(…) o edifício estava quase concluído, foi tudo devorado por um incêndio em resultado dum foguete que lhe caiu sob a abóbada… E depois de acabada até ao ponto de ser forrada, e os dois altares colaterais com suas tribunas, e retábulos de excelente talha e bom gosto, foi tudo reduzido a cinzas em 18 d’Ábril de 1787 ou 88… O bom do abade aproveitaria melhor o tempo se lesse os documentos do arquivo paroquial em logar de se lançar em conjecturas. Verificaria, como eu, que o desastre se deu em 25 de Abril de 1788, sob a paroquialidade de Domingos Alves Vale... A reedificação decorreu muito morosa em virtude da falta de recursos e dificuldades da época.”, OLIVEIRA, Miguel de. Válega: Memória histórica e descritiva. Ovar, 1981.

O sacristão revelou também que as obras que foram feitas há cerca de 10 anos para estabilizar o arco do coro, revelaram junto à entrada por debaixo dumas tijoleiras umas lajes de pedras de sepulturas antigas, "A actual igreja de Válega serviu muito tempo de cemitério da paróquia. Contavam-se a partir da porta principal nove linhas transversais de sepulturas destinadas aos adultos, tendo cada uma em média 10 campas separadas entre si por pequenas paredes. Seguia-se-lhes, junto ao arco cruzeiro, as sepulturas das crianças, reservando-se a capela-mór para abades e demais eclesiásticos." OLIVEIRA, Miguel de. Válega: Memória histórica e descritiva. Ovar, 1981.

Ao longo da sua história esta Igreja foi alvo de cobiça pelos amigos do alheio que a visitavam de noite, aproveitando-se muitas vezes do seu mau estado, da falta de vidros nas janelas ou mau estado das portas, um dos roubos mais importantes aconteceu em 1841, "Os membros da Câmara bem entendiam que, enquanto as aves nocturnas procuravam a igreja, não lhes perturbavam o sono com os seus pios agoirento. Tudo facilitava o assalto aos filhos da noite, que de 24 para 25 de Maio levaram todos os vasos e cálices sagrados e muitos outros objetos avaliados então em mais de 115$00 rs.", " OLIVEIRA, Miguel de. Válega: Memória histórica e descritiva. Ovar, 1981.

Descrição da Igreja Nossa Senhora do Amparo

 Igreja Nossa Senhora do Amparo – Válega - Ovar - Vista do interior

“A atual igreja de Válega é de arquitetura extremamente simples, em estilo moderno. Não tem naves. É um templo bem proporcionado, e pode comportar cerca de 3.000 pessoas… A fachada está voltada para o mar, e nela se vê, acima da porta principal a imagem da Padroeira, Nossa Senhora do Amparo, em pedra de Ançã. É cercada pelo adro que em tempo serviu de cemitério paroquial e atualmente se encontra arruado e, desde 1912 arborizado.

O coro, sustentado por um arco abatido, já em 1886 se encontrava em condições de pouca solidez, em virtude do grande vão… Tem cinco altares, que a devoção dos fieis conserva sempre adornados com decência e até certos luxos. Em todos se nota a mesma sobriedade de linhas que revelam um artista pouco pretensioso, mas dotado de boa estética”, OLIVEIRA, Miguel de. Válega: Memória histórica e descritiva. Ovar, 1981.

Azulejos da Igreja Nossa Senhora do Amparo1

 Igreja Nossa Senhora do Amparo – Válega - Ovar - Painel de azulejos interior

"A Igreja da Válega é uma verdadeira obra-prima da arte da pintura do azulejo e, sem sombra de dúvida, uma das mais impressionantes igrejas em Portugal! Ao pôr-do-sol, a fachada da igreja, virada para poente, é particularmente bela, banhada pelos raios de sol. Um verdadeiro templo dourado que brilha com os seus fantásticos azulejos de múltiplas cores.

O patronato da igreja pertenceu a mãos privadas até ao ano de 1150. Desde essa data até 1288 foi o Mosteiro de São Pedro de Ferreira. De 1583 a 1833 foi propriedade do Bispo e da Sé Catedral do Porto.

A Igreja da Válega encontra-se na sua localização actual desde meados do séc. XVIII. 

São de destacar no interior da igreja:

  • intervenções do séc. XX, como por exemplo os tectos em madeiras exóticas, patrocinados por la Familia Lopes, assim como revestimentos exuberantes em azulejos, produzidos na Fábrica Aleluia de Aveiro;
  • trabalhos em mármore nas paredes interiores da capela-mor, do côro baixo e do dos ladris gerais."1

Painéis de azulejos na Igreja Nossa Senhora do Amparo - Válega

Painéis de azulejos coloridos, no exterior da fachada principal da igreja

  • Alminhas sob o Amparo de Santa Maria – Válega – 1967;
  • Matrimónio;
  • Comunhão de São Luís
  • O batismo de Constantino;
  • São Carlos Borromeu ministrando a extrema unção;
  • A proclamação do dogma da Imaculada Conceição;
  • O Dogma da Imaculada;
  • Jesus dá as chaves a São Pedro;

Painéis de azulejos monocromáticos em branco e azul, nas laterais da igreja

  • Virgem Maria;
  • Jesus Cristo;

Painéis de azulejos coloridos, no interior da igreja

  • Com enxertos das orações do “Pai Nosso” e “Avé Maria”;
  • A morte de São José;
  • A fuga para o Egipto;
  • Aparição de Nossa Senhora de Fátima aos pastorinhos;
  • Aparição de Nossa Senhora de Fátima à pastorinha Lúcia;

Painéis de azulejos coloridos, no interior do batistério da igreja

  • Padre António Barroso;
  • Batismo de Cristo;
  • Padre Manuel da Nóbrega;

Vitrais no interior da igreja

  • Nascimento de Jesus Cristo;
  • Esponsais de Maria;
  • Maria apresenta seu filho divino no templo;
  • Maria assiste à morte de Jesus Cristo;
  • Maria na sua casa em Nazaré;
  • Salve Rainha Mãe da Misericórdia;
  • Consagração da sagrada hóstia;
  • Consagração do sagrado cálice;
  • Sacramento da 1ª comunhão;
  • Sacramento da confirmação;

Santos por nós identificados

  • Virgem Maria;
  • Jesus Cristo;
  • Beato Nuno;

Créditos e Fontes pesquisadas

Texto: Ondas da Serra com exceção do que está em itálico e devidamente referenciado.
Fotos: Ondas da Serra.
1 - Turismo de Portugal

Galeria de fotos da Igreja Nossa Senhora do Amparo – Válega

Lida 2529 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é uma marca registada e um Órgão de Comunicação Social periódico inscrito na ERC - Entidade Reguladora para a Comunicação Social, com um jornal online. O nosso projeto visa através da publicação das nossas reportagens exclusivas e originais promover a divulgação e defesa do património natural, arquitetónico, pessoas, animais e tradições do distrito de Aveiro e de outras regiões de Portugal. Recorreremos à justiça para defendermos os nossos direitos de autor se detetarmos a utilização do nosso material, texto e fotos sem consentimento e de forma ilegal.     

Itens relacionados

Capelas dos Passos: Tesouro religioso no coração da Ovar

As Sete Capelas dos Passos, ficam localizadas no centro de Ovar, tendo sido construídas no século XVIII, com o objetivo de recriar a Via Sacra de Jesus Cristo, para expiar os pecados dos homens, pelas ruas de Jerusalém, desde o Pretório de Pilatos até ao Calvário. Estes templos possuem uma forte carga simbólica, emocional e religiosa, pelas cenas da paixão de Cristo e Santos Bíblicos representados. Os artistas recriaram estes quadros com frescos e centenas de esculturas que parecem imbuídas de vida, transparecendo dor, emoção, justiça e vingança. No passado estas procissões da quaresma eram feitas com capelas de lona portáteis e santos de palha, tendo sido substituídas por estes templos que foram erigidos com o dinheiro de um curioso imposto da venda de vinho. Neste trabalho fizemos uma exaustiva pesquisa para dar a conhecer a sua localização, história, aspetos técnicos, simbologia, representação, descrição e curiosidades. Em cada uma das capelas fizemos também uma recolha fotográfica de forma a os visitantes saberem de antemão quem são as figuras bíblicas representadas e frescos pintados. Este património está classificado como de interesse público, mas tem problemas de conservação, restauro e projeção que vamos enumerar. Nós tivemos o privilégio de rever e redescobrir estas capelas participando num evento organizado pelo município vareiro, através duma visita guiada e encenada denominada “Passo a Passo”, tendo por cicerone, "Zé dos Pregos", interpretado pelo artista Leandro Ribeiro, da Sol d'Alma - Associação de Teatro de Válega. 

Fonte do Estanislau requalificada com passadiços e moinho

A antiga Fonte do Estanislau, possui grande valor natural e património histórico, ficando localizada entre as freguesias de Arada e Maceda, nas margens da Ribeira do Louredo ou Rio Lourido. Este local foi requalificado e inaugurado em 25 de abril de 2022, pelo Presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro. O rio que ali passa em tempos fez mover vários moinhos de rodízio, tendo um deles sido recuperado. Foram também construídos passadiços, escadas e pontes em madeira, para se poder passear por este parque, onde não faltam mesas e bancos para as pessoas poderem fazer uma pausa, debaixo da frondosa sombra, ao som do marejar das águas e afastar o desejo por comida e bebida. A intervenção foi positiva, mas o espaço em redor e o que parece ser a poluição do rio fazem mácula em Ártemis e sua divina beleza.

Ovar: O que visitar, passear na Ria e Mar, comer e dormir

Neste artigo vamos dar a conhecer aos nossos leitores que pretendem visitar Ovar, as atrações que podem ver, visitar, onde podem comer e dormir. Esta terra vareira tem seis pilares que a caracterizam, Cantar os Reis, Carnaval, Pão de Ló, Azulejo, Procissões Quaresmais e Natureza, onde se integra a Ria de Aveiro, Mar com as suas praias e zona florestal, que está no entanto em risco pelos abates cegos que têm sido realizados e não sabemos se vão ser retomados no futuro, quando a poeira assentar.