Núcleo urbano de Oliveira de Azeméis Igreja de Ul - Aldeia de Portugal - Oliveira de Azeméis
quarta, 19 abril 2017 15:14

Núcleo urbano de Oliveira de Azeméis

Classifique este item
(0 votos)

Andando a pé pelo centro histórico da cidade de Oliveira de Azeméis, que se desenvolve basicamente ao longo das ruas Bento Carqueja e António Alegria, que constituem o traçado da antiga EN 1 dentro da cidade, é possível observar vários edificios de grande valor patrimonial.

Este percurso tem cerca de 4,3 km com partida no Mercado Municipal e chegada à Praça José da Costa. O percurso pode ser efetuado em qualquer época do ano, sendo que, sem chuva a visita será mais beneficiada. Percurso maioritariamente plano.

Núcleo urbano de Oliveira de Azeméis

 

  
 

Mercado Municipal de Oliveira de Azeméis

Este mercado, que se realiza desde os anos 20, e apesar das diferentes localizações que já possuiu, continua a ser um núcleo de relacionamento social das populações, assim como continua a ser a única unidade comercial, na área alimentar, de dimensão significativa no centro da cidade.

Para mais informações consulte: http://www.cm-oaz.pt/desenvolvimento_economico.881/mercado_municipal.882.html

Localização: Edifício do Mercado Municipal, Oliveira de Azeméis Dias: Quartas e sábados da parte da manhã GPS: 40º50'27.64”N | 8º28'37.20”W

 

 

Casa dos Monteiros, Cesar

Nesta habitação privada de 1820 predominam grandes muros de pedra com ameias que lhe conferem um aspeto de castelo. A entrada principal para a propriedade faz-se por um portão majestoso num muro de pedra, também com ameias, e dois grandes pilares em forma de torre, entre os quais se evidencia o brasão da família. O seu espaço envolvente é ajardinado. GPS: 40º54’59.6”N | 8º26’35.0”W

 

 

Igreja Matriz de Oliveira de Azeméis

Construída, entre 1719 e 1729, na parte do núcleo antigo de Oliveira de Azeméis, num pequeno morro, conquistou uma posição dominadora perante a cidade. No exterior, a imponência da escadaria de acesso frontal à igreja dá acesso a um conjunto de painéis de belos azulejos que representam cenas da vida de Jesus e numa escultura de S. Miguel, padroeiro da freguesia. No seu interior, na capela-mor, é de salientar uma tela da autoria de Marques da Silva, representando a Ressurreição. GPS: 40º50'26.07”N | 8º28'40.49”W

 

 

Chafariz

Localizado em frente à Igreja Matriz está o Largo do padroeiro S. Miguel, com um chafariz, cuja coluna pertenceu a um pelourinho existente na Praça José da Costa, demolido a 27 de Maio de 1864. Este chafariz esteve outrora na Rua do Mártir. GPS: 40º50'25.83”N | 8º28'39.46”W

 

 

Marco Miliário da Milha XII

Retirado do seu local de origem teve diversas localizações, encontrando-se hoje exposto no largo próximo da Igreja Matriz. Foi encontrado na freguesia de Ul, nos trabalhos de demolição dos alicerces da antiga Igreja de Santa Maria de Ul e é um achado arqueológico de extrema importância. Trata-se, portanto, do marco indicador da milha 12 da via militar romana entre Lisboa e Braga, erigido entre 1 de Julho de 23 d.C. e de 24 d.C. É em granito, com 165 cm de altura e 40 cm de diâmetro. Tem inscrito: TIB. CAESAR.DIVI.AVG FILIVS.AVGVSTVS PONTIFEX.MAXVM TRIB.POTESTAT.XXV XII Significa: “Tibério César Augusto, filho do divino Augusto, Pontífice Máximo, no ano 25 do seu poder tribunício. Milha 12”. GPS: 40º50’24.88”N | 8º28’39.73”W

 

 

Edifício Xá-Xá-Xá

Esta edificação dos inícios do séc. XIX, de composição neologista, era uma habitação particular, que é atualmente utilizada para uso comercial, sendo propriedade privada. GPS: 40º50’23.87”N | 8º28’38.68”W

 

 

Casa dos Sequeira Monterroso

Imóvel de arquitetura popular, de planta retangular, de grande sobriedade e depuração arquitetónica, destacado pela pedra de armas, a qual se crava entre duas sacadas, que tal como as janelas são de padieiras direitas e cantarias lisas. A fachada principal eleva-se em dois pisos, com dupla entrada central simples de vãos reTangulares, correspondendo a dois janelões com sacada, no segundo piso. Piso térreo com oito vãos diferenciados e piso superior com quatro janelões quadrangulares enquadrando as duas sacadas centrais.

 

 

Casa Amarela

Este edifício, que data do séc. XIX, destaca-se pela beleza dos seus azulejos. É propriedade privada e mantém a sua função de residência particular. GPS: 40º50’22.35”N | 8º28’39.95”W

 

 

Casa de Bento Carqueja

Casa onde nasceu, a 6 de Novembro de 1860, uma das mais emblemáticas figuras de Oliveira de Azeméis: Bento de Sousa Carqueja. Chegou a ser coproprietário do Jornal “O comércio do Porto” e, fazendo proveito do seu prestígio a nível nacional e atraindo o financiamento de vários quadrantes e personalidades, promoveu em Oliveira de Azeméis a construção de diversas infraestruturas básicas bem como um vasto conjunto de iniciativas de âmbito cultural, desportivo, turístico e de solidariedade social. Em frente à casa e à Câmara Municipal está o busto que lhe foi dedicado, inaugurado em 1960, aquando das comemorações do seu primeiro centenário. Este edifício alberga hoje algumas valências da Câmara Municipal. GPS: 40°50'20.74"N | 8°28'40.43"W

 

 

Edifício dos Paços do Concelho

Localizado numa zona privilegiada da cidade, na Praça da República, o edifício começou a ser construído em Dezembro de 1844 e ficou concluído por volta de 1851. A sua construção foi paga, por ordem do Rei D. Miguel, através do desvio do imposto real de carne e vinho que até à data era pago pelos habitantes do concelho de Oliveira de Azeméis com o intuito de custear as obras da barra de Aveiro. De início tinha muitas funções, albergando os tribunais judiciais e administrativos, a sala de sessões da Câmara, a Repartição da Fazenda e vários compartimentos onde se alojavam funcionários subalternos. Na cave situava-se a cadeia, a casa do carcereiro e a sala livre. Na sua estrutura interior, o edifício já passou por várias transformações. O seu aspeto exterior, onde se destaca um Brasão Nacional, mandado edificar por D. Miguel I em 1844, manteve-se praticamente inalterado até aos dias de hoje. É propriedade pública, albergando em si diversos serviços da Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. GPS: 40º50’20.94”N | 8º28’39.72”W

 

 

Monumento a Ferreira de Castro

Do escultor Eduardo Tavares, foi inaugurado a 30 de Dezembro de 1966 por ocasião das comemorações do cinquentenário da publicação de “Criminoso por Ambição”, o primeiro romance do escritor Ferreira de Castro. A escultura em bronze representa e homenageia o Emigrante, uma figura paradigmática na obra do escritor e que simboliza simultaneamente a condição social outrora vivida por muitos oliveirenses. GPS: 40º50'19.60”N | 8º28'39.27”W

 

 

Casa dos Côrte-Real

Arquitetura civil privada, tardo-maneirista. Palácio urbano de planta retangular e alçados relativamente baixos e de grande sobriedade decorativa, com capela do mesmo estilo, adossada à direita do seu corpo, de planta longitudinal e nitidamente riscada com aprumo estético. Conjunto composto por volumes articulados com coberturas diferenciadas. Com uma fachada principal de dois pisos, a casa ostenta, ao centro, uma escadaria única e perpendicular virada para a Praça, com largo lanço de 14 degraus. O primeiro piso compõe-se por duas portas, à esquerda da escadaria e duas janelas e porta central à direita, correspondendo, ao nível do segundo piso, a janelas de sacada, sobre mísulas caneladas, e pedra de armas da família titular com escudo esquartelado dos Vasconcelos, Brandões Soares e Silvas. GPS: 40º50’19.30”N | 8º28’40.14”W

 

Fonte: Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis

Lida 785 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Aprenda como se ensinava no Museu Escolar Oliveira Lopes

A história dos irmãos Oliveira Lopes de Válega que construíram uma escola

Esta é a história de dois irmãos do Cadaval – Válega que no começo do século XX, resolveram combater a expensas próprias o analfabetismo e mandaram erigir uma escola na sua terra que marcou tantos homens e mulheres e que comprova a importância do saber para elevar o ser humano. Naquele tempo não havia ensino obrigatório e universal, existiam poucas escolas, mestres e os alunos andavam desnutridos, mal vestidos e calçados.

Na sessão camarária de 29 de Janeiro de 1908 foi presente um ofício do subinspector escolar José de Castro Sequeira Vidal comunicando que José de Oliveira Lopes e seu irmão Manuel José de Oliveira Lopes, do lugar do Cadaval, da freguesia de Válega, ofereciam-se para custear todas as despesas com a construção dum edifício para as escolas oficiais e habitação dos respetivos professores dessa freguesia, pelo que pedia a cedência gratuita do terreno necessário para aquele construção que, concluída, seria oferecida ao Estado pelos citados beneméritos.” Lamy, A. (1977). Monografia de Ovar - volume 2 (1st ed., p. 376). Ovar [Portugal].

As mais bonitas praias fluviais de Portugal

O Ondas da Serra tem feito um trabalho para dar a conhecer aos nossos leitores as mais bonitas praias fluviais de Portugal. A maioria das que visitamos são no nosso distrito de Aveiro, mas fomos conhecer outras espalhadas pelo país que nos oferecem momentos inesquecíveis de paz, beleza e tranquilidade. Neste artigo fizemos uma seleção destas locais que fazem parte da nossa história e onde nos divertimos e agradecemos à mãe natureza pela sua criação e aos homens por as estimar.

Parta de bicicleta do Porto à descoberta de Vila do Conde

No ano da graça de 2021, partimos numa epopeia de bicicleta na demanda duma nau, que começou em Vila Nova de Gaia, navegando junto à costa atlântica do litoral norte do Porto, Matosinhos e Vila do Conde. Fomos à descoberta destas terras desconhecidos e ficamos maravilhados com os seu encanto histórico, patrimonial, ambiental e religioso, que vamos partilhar com o nosso reino.