S. João da Madeira fabrica réplicas de chapéu de Fernando Pessoa para exposição em Madrid Chapéus - Turismo Industrial
terça, 06 fevereiro 2018 21:49

S. João da Madeira fabrica réplicas de chapéu de Fernando Pessoa para exposição em Madrid

Classifique este item
(0 votos)

Oferta do programa de Turismo Industrial sanjoanense | Patente no Museu Rainha Sofia de 7 de fevereiro até 7 de maio

Sendo o chapéu um adereço indissociável da figura icónica do poeta Fernando Pessoa e sendo esse um dos produtos emblemáticos da cidade de S. João da Madeira, o Turismo de Portugal convidou este Município a associar-se à exposição PESSOA, patente no Museu Rainha Sofia, em Madrid, oferecendo 50 belíssimos chapéus de feltro, produzidos numa das empresas que fazem parte do programa de Turismo Industrial desenvolvido pela autarquia sanjoanense.

Essas réplicas do chapéu de Pessoa foram produzidas especialmente para a exposição pela empresa Fepsa, líder mundial do setor que exporta para vários pontos do mundo feltros fabricados em S. João da Madeira, mantendo uma grande tradição de qualidade, com um crescente apuro técnico e tecnológico.

Fundada em 1969, em S. João da Madeira, graças à união de seis industriais de chapelaria com raízes no início de séc. XX, a Fepsa reflete a consolidação de uma indústria muito antiga na Europa, e que em Portugal teve um significativo impulso no séc. XVIII com o Marquês de Pombal.

Esta realidade desta indústria da Chapelaria e a sua história podem ser conhecidas mais em pormenor e em contacto direto com o processo produtivo no âmbito dos Circuitos pelo Património Industrial de S. João da Madeira, um produto turístico inovador lançado em 2012 pelo Município Sanjoanense.

Para além da vertente dedicada ao chapéu, este programa de Turismo Industrial proporciona também a interação com outros setores produtivos marcantes da cidade de S. João da Madeira, desde logo o calçado, mas igualmente o têxtil, a colchoaria e as etiquetas, assim como o fabrico de lápis na centenária Viarco.

A visita à indústria pode ainda ser complementada com uma viagem mágica aos museus da Chapelaria e do Calçado, bem como ao Núcleo de Arte da Oliva, criado nas instalações recuperadas do gigante do ferro que foi a Oliva, onde estão patentes belíssimas coleções de arte contemporânea e arte bruta.

Dessa forma, o Turismo Industrial de S. João da Madeira conjuga a preservação do legado arqueológico industrial com a promoção das indústrias consideradas tradicionais e das novas indústrias criativas e tecnológicas.

Lida 490 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Os Amigos da Tasca Centenária e da música popular Portuguesa

Em Cabomonte – São Miguel de Souto, na Tasca Centenária da Marçalina, um grupo de amigos reuniam-se em convívio à volta das cartas, dos petiscos e das brincadeiras. Com o tempo trouxeram instrumentos, os cantares ao desafio e a vontade de formarem um grupo musical. Desta forma simples nasceu o conjunto “Os Amigos da Tasca Centenária”, composto por seis músicos e uma cantadeira que perpetuam a nossa memoria coletiva com as suas vozes e melodias tradicionais.

Caldas de São Jorge | Terra de mártir, poesia, rio e águas termais

Caldas de São Jorge é uma freguesia de Santa Maria da Feira, bastante conhecida pelas suas águas termais, mas que tem outras riquezas à espera de serem descobertas.

Intermarché de Ovar conta a história da cidade em azulejo português

Um supermercado já não é apenas um espaço comercial que vende produtos de consumo corrente. Oferecer cultura local em azulejaria portuguesa enquanto vai às compras é reconhecer que a experiência de cliente do século XXI não termina nas caixas registadoras. Por isso é que o Intermarché de Ovar lhe conta a história da cidade num projeto assinado por Marcos Muge.

Faça Login para postar comentários