quarta, 06 setembro 2017 11:12

Espinho | Ecovia do litoral Destaque

Classifique este item
(1 Vote)

A Ecovia do litoral fica situada em Espinho e tem cerca de 12 Km. É possível fazer o seu percurso a caminhar ou de bicicleta e contemplar as várias praias no seu trajeto, ambientes urbanos e populares, como os bairros e cenas da vida dos pescadores. Se tiver sorte poderá ver estes homens na sua faina ou as artes de pesca a descansar ao sol à espera do próximo regresso ao mar.

Espinho | Ecovia do litoral

O litoral de Espinho possui um cordão dunar que se estende entre Silvalde até à Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz. Nesta área existem habitats constantes no Plano Sectorial da Rede Natura 2000, uma rede ecológica para o espaço comunitário da União Europeia. Os passadiços desta ecovia serpenteiam, sobem e descem por cimo das ondas dunares sendo utilizados pelas pessoas para fazerem desporto ou deslocarem-se para as praias. Junto à faixa litoral pousadas nas areias ou esvoaçando no ar é possível ver centenas de gaivotas e outras aves que convivem pacificamente com este aumento de atividade.      

Descrição da ecovia

Esta ecovia dá acesso às seguintes praias, (sentido norte-sul) Marbelo, Seca, Azul, Pop, Costa Verde, Baia, Sereias, 37, Mar, Pescadores, Pau da Manobra e Paramos. Antigamente esta ecovia terminava na barreira natural da Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz. Com as recentes obras que se fizeram e a inauguração em junho passado dos novos passadiços da lagoa/barrinha, agora existe uma bonita ponte em madeira com uma vista soberba sobre esta pérola da natureza que tem de ser preservada e permite a passagem para a outra banda.   

É possível em Esmoriz pedalar junto ao mar em direção a Cortegaça, passando pelo bairro dos pescadores. Em Cortegaça o desportista pode também continuar pela ecopista da Zona Floresta que vai em direção ao Furadouro. Se for um daqueles profissionais com grande preparação no Furadouro pode pedalar em direção à ponte da Varela na Murtosa onde encontra a CicloRia.

Lembre-se que agora é possível transportar as bicicletas no comboio e muitas das localidades por onde passam estes trajetos tem estações/apeadeiros podendo fazer-se muitos tipos de planeamento. A nossa equipa aprecia ir de bicicleta pela Zona Florestal, do Furadouro a Esmoriz e na Barrinha continuar até Espinho pela Ecovia do Litoral, depois regressamos de comboio para Ovar.   

Leia o nosso artigo “Barrinha de Esmoriz - Lagoa de Paramos”

Conhecer um pouco das Dunas e da Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz a).

O que são dunas?

As dunas são elevações de diversas formas e tamanhos constituídas por grãos de areia que se desenvolvem perpendicularmente à direção dos ventos dominantes e em geral paralelamente à linha da costa, constituindo a transição entre a terra e o mar.

Como se formam?

A dunas formam-se pela deposição e acumulação de areia que se estabelecem na área adjacente à zona das marés, um processo complexo decorrente da ação dos ventos e do mar.

Para que servem?

As dunas possuem múltiplas funções, sendo essenciais na defesa contra a intensidade dos ventos e das areias e na contenção do avanço do mar. As dunas são também o habitat de muitas espécies de animais e plantas.  

Como são recuperadas e protegidas?

Para promover a fixação das areias transportadas pelo vento e assim ajudar na criação das dunas e na instalação da vegetação, foram colocadas paliçadas. Foram plantadas espécies vegetais que asseguram a fixação e o crescimento das dunas.

Foram instalados passadiços sobrelevados ao longo de toda a área costeira e criadas plataformas para paragem e observação da paisagem com o objetivo de organizar o acesso pedonal e clicável e evitar o pisoteio

Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz

A Lagoa de Paramos/Barrinha de Esmoriz integra a Rede Natura 2000, sendo também considerada uma área Importante de Aves.

Em Espinho ocorre a Jasione lusitânica uma espécie rara e protegida dos areais do litoral oeste da Península Ibérica.

a) - Fonte CM de Espinho

Galeria de fotos

 

Lida 1055 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Ecopista Póvoa do Varzim-Famalicão novo desafio aliciante

No dia 10 de julho de 2021, o ramal ferroviário que liga Póvoa do Varzim a Vila Nova de Famalicão voltou a expelir fuligem e a resfolgar de vapor, não das antigas locomotivas, mas da nova vida que ganhou. Encerrado ao tráfego em 1995, regressou da reforma para se ver transfigurado numa atrativa ecopista, por onde passam graúdos e miúdos, a caminhar ou a correr, montados em bicicleta de todos os tamanhos e feitios, empurrando carrinhos de bebé, uns mais lentos outros mais rápidos, mas todos cheios de vida e com vontade de ver as bonitas vistas sem comprarem bilhete.

Vereda do pastor percurso pedestre oculto da Serra da Freita

Pelo percurso pedestre do PR3 – Vereda do Pastor - Arões - Vale de Cambra, o Ondas da Serra foi conhecer as aldeias mais icónicas da encosta sul da Serra da Freita, Covô, Agualva e Lomba. Nesta caminhada ainda passamos por duas povoações já abandonadas de Porqueiras e Berlengas. Este trilho é muito rico em termos arquitetónicos, naturais, fauna e flora, onde podemos apreciar um núcleo composto por 15 canastros ou espigueiros, duas bonitas cascatas, luxuriantes ribeiros e belíssimas paisagens de montanha. Do alto das suas serranias pode-se observar a linha costeira que é coberta ao raiar da aurora e crepúsculo por uma envolvente neblina que é suplantada pela altitude, escondendo as riquezas dos horizontes e fundos dos vales.

Cabril Gerês o que visitar, surpreenda-se com a sua natureza

A freguesia de Cabril pertencente ao concelho de Montalegre, região de Trás-os-Montes, sendo ainda uma jóia resguardada do Parque Nacional Peneda-Gerês. Situada no interior profundo é descrita como selvagem pelos seus ilustres moradores, possuindo riquezas culturais, naturais e arquitectónicas que fascinam quem as contempla.

Para sentir Cabril falamos com um autarca, empresário e historiador locais, que demonstraram o seu empenho pelo seu desenvolvimento, defesa e promoção. Nós amantes das serranias e graníticos penedos, ficamos enamorados pela Surreira do Meio Dia e beleza desta região. Neste artigo esperamos que as pessoas despertem para a conhecer e a respeitem quando a visitarem.