O turismo aventura no Rio Paiva e o turismo rural em Arouca Rio Paiva
quarta, 28 dezembro 2016 10:05

O turismo aventura no Rio Paiva e o turismo rural em Arouca

Classifique este item
(0 votos)

Ondas da Serra tem consciência que nem sempre os trabalhos académicos são aproveitados na prática pelas entidades públicas e privadas para resolver e acautelar problemas atuais ou futuros. A seguir se insere parte de uma tese de dissertação para obtenção do grau de mestre na Universidade de Aveiro, pela então aluna Maria Fernanda Cardoso Conceição Azevedo Silva, onde são relatados importantes resultados e considerações sobre a economia e turismo de Arouca.

Este documentos foi feito em 2013 mas ainda está muito atual. Infelizmente algumas das preocupações demonstradas vieram a realizar-se como a falta de cuidado com o meio natural resultando nos incêndios que fustigaram este concelho no Verão passado. Os estudos são feitos e depois com os anos vão passando despercebidos, Ondas da Serra sempre que possível irá resgatar estes trabalhos e dá-los a conhecer por respeito pelos seus autores e para que esse conhecimento não se perca nas brumas do tempo.

“A economia de Arouca é diversificada mas com maior impacto do setor primário no concelho: agricultura e pastorícia. A transformação de madeiras também tem destaque na economia local. A indústria do calçado, a transformação de ardósias e metalomecânica têm expressão. O setor terciário é representado pelo comércio. Em Arouca, a economia é pouco variada. É um local rural e muito dedicado à agricultura, pois é o meio de subsistência para grande parte da população local.

A promoção do destino turístico tem que ser mais intensa e Arouca tem que aproveitar o fato de estar relacionada com a região de turismo Porto e Norte de Portugal. São poucos os destinos que possuem caraterísticas tão singulares e que possibilitam ao visitante/turista desfrutar de várias atividades. A sua oferta é riquíssima. O turismo de Arouca associou-se à rede de Geoparques, tendo a sua própria Associação Geopark de Arouca.

Deveria ser criada uma imagem de marca que distinga Arouca dos outros destinos e nunca deixando para trás as caraterísticas mais marcantes do local como, o património natural, cultural, científico e gastronómico. Pensou-se numa pequena frase que define o destino turístico Arouca: “Arouca é vida e sabedoria!”. A escolha deste slogan surge porque “vida” no destino Arouca relaciona-se com o turismo ativo, ou seja, ao turismo natureza (vários percursos pedestres pela Serra da Freita) e ao turismo aventura (vários desportos praticáveis no Rio Paiva). Relativamente, ao vocábulo “sabedoria” aparece devido à sua carga cultural, religiosa, científica e gastronómica que representa e para demonstrar que Arouca é rica no seu património.

Apostar também na elaboração de um vídeo promocional sobre o destino turístico Arouca e Rio Paiva, pois pode tornar-se num excelente cartão-de-visita. O site do Geopark Arouca deveria ser remodelado. Transformar numa página virtual mais atrativa, dinâmico e esclarecedor. É um veículo de informação que deve estar sempre atual, onde os eventos mais próximos deviam ter um destaque na página principal para não passar despercebido, bem como apresentar campanhas promocionais ou ofertas para cativar o consumidor.

Cada vez mais, os proprietários têm que ser empreendedores e inovadores. Empreender e inovar criando produtos específicos para cada tipo de turista que visita a região. Para isso é necessário fazer um estudo de mercado para que se determine o tipo de turista que visita o destino, Arouca. Após essa investigação será possível desenvolver produtos turísticos específicos com preços adequados ao tipo de turista. O turismo de Arouca tem que incutir aos empresários a importância de trabalhar em rede. Dessa forma, as entidades públicas e privadas de Arouca são capazes de criar pacotes turísticos diferenciados baseando-se numa imagem de marca do destino, como por exemplo desenvolver pacotes para turistas ativos e para turistas passivos.

Sendo uma região com um património natural vasto é preciso ter cuidados para não se degradar e para Arouca não exceder a sua capacidade de carga. Só pode oferecer um turismo de qualidade preservando as suas caraterísticas naturais. Continuar a manter a imagem de marca do Rio Paiva, o mais limpo da Europa e não haver demasiada intervenção do Homem para não destruir a paisagem natural.

Arouca tem uma economia limitada que se baseia na sua maioria na agricultura. Por isso, o turismo pode tornar-se num motor de desenvolvimento económico do destino, para isso tem de existir organização e cooperação entre as entidades públicas e privadas. A inovação de processo pode impulsionar a atividade turístico tendo o contributo do Posto de Turismo e da Associação Geopark Arouca. As unidades de alojamento rurais devem ter preocupações ambientais constantes para não prejudicar o meio envolvente mas que também possam reduzir custos.

O recurso às energias renováveis como os painéis solares e promover práticas de poupança de água. São formas que as unidades de alojamento têm para que o ambiente mantenha as suas caraterísticas e não se degrade. É necessário implementar políticas de boas práticas a  nível ambiental, pois a natureza é recurso frágil e que requer muitos cuidados para se manter preservado.

O Rio Paiva é um recurso natural que tem um grande peso no turismo em Arouca. As pessoas procuram o Rio Paiva para desfrutarem de uma experiência em grupo e para usufruírem das atividades que este oferece. É uma experiência ativa, de emoção, aventura, adrenalina, desafio, audácia e risco. As caraterísticas deste rio são relevantes para a prática de desportos aquáticos. No entanto, é necessário fomentar políticas de preservação para que o rio continue a ser um recurso de relevância para atividade turística em Arouca.

Uma aposta a fazer é na certificação, selos e marcas de qualidade, pois são fatores de diferenciação e fiabilidade para influenciarem o cliente na escolha de uma unidade de alojamento ou um restaurante ou uma empresa de animação turística. No turismo, deve existir constantemente um trabalho de planeamento, desenvolvimento e monitorização para o destino Arouca tenha uma oferta cada vez melhor e de qualidade.

Em suma, no geral nota-se que há uma grande resistência à mudança por parte dos empresários de alojamento e de animação turística. Continua a ser uma batalha dura para as entidades públicas para mudarem as mentalidades. O turismo para além de ser uma atividade económica, envolve pessoas e é preciso que os empresários olhem para o turismo como uma fonte de relações e conhecimento com outras culturas.”

Fonte: Silva, M. F. O turismo aventura no Rio Paiva e o turismo rural em Arouca (Tese de Mestrado). Disponível na RIA - repositório Institucional da Universidade de Aveiro. (Uhttp://hdl.handle.net/10773/12393)

Lida 692 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Maia & Andrade | Imobiliária de Gerações

O ‘Ondas da Serra’ visitou a imobiliária Maia & Andrade em Ovar para se inteirar um pouco deste mercado tão em voga e aquilo que tem para nos revelar, nomeadamente nesta área geográfica onde está inserida.

A Loja Centenária da Marçalina

Ondas da Serra viajou até Cabomonte – São Miguel de Souto, onde subsiste há mais de um século uma antiga taberna, mercearia ou como o povo gosta de chamar “Loja de comes e bebes”, mais conhecida por “Loja da Marçalina”, uma das mais velhas das terras de Santa Maria e onde ainda se podem sentir os refinados odores dos petiscos dos nossos avós.

Casa Alentejana | Aroma e Sabor a Tradição

Por esta vez o ‘Ondas’ deixou a serra e foi ao Litoral. Estivemos em Ovar para conhecermos um local muito particular.

No centro da cidade de Ovar, na praça Largo Família Soares Pinto onde também 'mora' o icónico chafariz Neptuno datado de 1877 é onde se encontra a Casa Alentejana, um estabelecimento onde podemos comprovar a cultura gastronómica da região Alentejana em plena terra de 'Vareiros'!