Arouca | Campo de Dobras da Castanheira -  Um retrato do nosso passado geológico Campo de Dobras da Castanheira - Serra da Freita - Arouca Ondas da Serra
domingo, 14 junho 2020 10:35

Arouca | Campo de Dobras da Castanheira - Um retrato do nosso passado geológico

Classifique este item
(0 votos)

A caminho da aldeia da Castanheira, na Serra da Freita em Arouca, onde as pedras brotam pedras e são conhecidas por parideiras, fica localizado o “Campo de dobras da Castanheira”, um dos geossítios mais interessantes do Arouca Geopark.

Arouca Geopark

Uma das missões do Arouca Geopark é a proteção e valorização do seu rico património geológico. A nossa Terra tem feito navegar por grossos mares, jangadas de pedras, numa peleja sem naufragar, para criar continentes para o homem habitar.

Estas terras já foram há muitos milhares de anos um extenso leito marinho. Uma das melhores provas é o "Centro de Interpretação Geológica de Canelas", onde está exposto um rico registo fóssil deste passado, com especial ênfase para as maiores trilobites do mundo, criaturas que por aqui viveram e dominavam os mares.

Leia também: Centro de Interpretação Geológica de Canelas

Na estrada que dá acesso à Castanheira, quase passa despercebido este geossítio, onde nos podemos aproximar da antiga obra do Criador e da moldagem que estava a preparar para o nascimento da espécie humana. O que desejamos é que não possa o homem destruir em poucos anos o que tanto trabalho Lhe deu a criar.

Este bailado forçado das plataformas continentais, deformou os estratos rochosos ao ponto de criar dobras em forma de ondas que representam na perfeição a inspiração para o nosso projeto. Quando criamos o nosso logótipo não sabíamos que a natureza já se tinha antecipado.

História Geológica de Arouca*

O campo de dobras da Castanheira ocorre nas rochas mais antigas do Arouca Geopark. Estas formaram-se há mais de 500 milhões de anos nas profundezas de um mar antigo, onde se depositaram camadas alternantes de sedimentos que, por diagénese e metamorfismo, originaram as rochas xistentas e metagrauvacoides. Nesta região ocorrem ainda inúmeros filões de quartzo.

Há cerca de 350 milhões de anos, os continentes de então começaram a juntar-se para formarem o supercontinente Pangeia e este processo originou uma enorme cadeia montanhosa: as Montanhas Variscas. As rochas intensamente dobradas que aqui são uma espécie de fotografia da formação dessas montanhas antigas, semelhante à atual Cordilheira dos Andes, sendo a Serra da Freita apenas um pequeno resquício das suas raízes, já muito erodidas.

Dobras da Castanheira*

Estas dobras são ­uma deformação em que ocorre o encurvamento das superfícies originalmente planas. As dobras resultam da actução de forças compressivas em rochas com comportamento dúctil.

*Fonte: Arouca Geopark

Leia também: Viagem à Pré-História e fragrâncias da Serra da Freita

 

Lida 738 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Vereda do pastor percurso pedestre oculto da Serra da Freita

Pelo percurso pedestre do PR3 – Vereda do Pastor - Arões - Vale de Cambra, o Ondas da Serra foi conhecer as aldeias mais icónicas da encosta sul da Serra da Freita, Covô, Agualva e Lomba. Nesta caminhada ainda passamos por duas povoações já abandonadas de Porqueiras e Berlengas. Este trilho é muito rico em termos arquitetónicos, naturais, fauna e flora, onde podemos apreciar um núcleo composto por 15 canastros ou espigueiros, duas bonitas cascatas, luxuriantes ribeiros e belíssimas paisagens de montanha. Do alto das suas serranias pode-se observar a linha costeira que é coberta ao raiar da aurora e crepúsculo por uma envolvente neblina que é suplantada pela altitude, escondendo as riquezas dos horizontes e fundos dos vales.

Associação Dona Urraca Moreira a lutar pela terra oliveirense

O Ondas da Serra foi conhecer a ADUM - Associação Dona Urraca Moreira, localizada em Madail – Oliveira de Azeméis, que se dedica à defesa e conservação da natureza e património histórico do concelho. Neste artigo vamos conhecer o seu presidente, a sede da associação e sua história, que atividades têm desenvolvido e quais são os maiores problemas que têm enfrentado nestas áreas.  

Foz do Alge | Conheça três atrações que fascinam o turista

A povoação de Foz do Alge pertence à freguesia de Arega - concelho de Figueiró dos Vinhos, distrito de Leiria, do nosso Portugal. Este reino foi ali conquistado junto das águas do Rio Zêzere com as da Ribeira de Alge, num cenário de grande beleza, quebrada à volta pelos grossos mares de eucaliptos, que estão sempre à espreita para o aniquilar.