Trilho das Levadas em Mansores descubra os seus passadiços Trilho das Levadas Mansores - PR11 Arouca - Rosa Maria - Diretora do Ondas da Serra Ondas da Serra
quinta, 02 maio 2019 13:18

Trilho das Levadas em Mansores descubra os seus passadiços

Classifique este item
(4 votos)

O PR11 Trilho das Levadas em Mansores, é o mais recente percurso pedestre que pode visitar em Arouca. Pelos seus passadiços irá caminhar junto da luxuriante vegetação e galeria ripícola, acompanhado por riachos, levadas, velhos moinhos e cantar da passarada. O percurso começa junto da Capela de Nª Srª do Rosário, no lugar da Vila, onde pode contemplar os vales e montanhas que se estendem em redor.

Descrição do PR11 - Trilho das Levadas em Mansores 1

Trilho das Levadas em Mansores | Um novo percurso junto à Ribeira da Barrosa

"Percurso circular com início junto ao coreto da Vila e passagem por todos os lugares da vertente Norte da freguesia de Mansores: Crasto, Juncido, Estrada, Barrosa, Agras, Avitureira, Mata e Casal. Antes de iniciar o percurso, saúde do adro da capela o vale que o espera e as serranias que, ao longe, não deixarão de o vigiar. Depois, faça-se ao caminho em direção ao Crasto e ao Juncido. Atente à cale de pedra que conduz a água a par do carreiro da Igreja. Suba pelo sítio das Lombas em direção à Barrosa. Passará por algumas quintinhas muradas para defesa do gado que por ali transitava. Repare na vastidão da floresta circundante antes de se embrenhar nas margens do ribeiro da Barrosa, luxuriantes e povoadas de castanheiros, carvalhos e amieiros, diversos açudes, uma dezena de moinhos e vários socalcos. 

No lugar da Estrada, após passar por um imponente sobreiro, faça um curto desvio e visite o calvário. Regresse ao caminho e siga por um estradão até ao lugar das Agras, no qual se situa a capela de Santo António. Chegando às imediações da Avitureira, terá diante de si mais um vale agrícola presidido por mais um moinho. Daqui, seguirá ao lado de uma longa levada de água em cale de granito, até ao lugar da Mata. Em torno da linha de água, um bosque de castanheiros e loureiros e mais um núcleo de moinhos. Da Mata regresse às Agras. Atente aos diversos afloramentos (fragas) de xisto.

Atravesse o vale mais amplo da freguesia no sítio dos “Reguengos” (nome que indicia que estas foram terras do rei). Chegado ao lugar do Casal, ladeie a Casa da Terça – casa semi-senhorial oitocentista com pedra de armas, capela privada e muita história: aqui nasceu o visconde Manuel Baptista Camossa Nunes Saldanha (1834-1918). Suba por entre o casario e atravesse o parque da Serra da Vila. Quase a terminar, será convidado a entrar pelo vale da Ribeira, na vertente Sul da freguesia; um dia que cá volte, visite-o." 1

Ficha técnica do PR11 - Trilho das Levadas em Mansores 1

  • Ponto de partida/chegada: Largo da Capela da Sra.ª do Rosário (Lugar da Vila);
  • Distância: 11,00 km;
  • Grau dificuldade: Médio;
  • Duração: 4,00 h;
  • Altitude máxima: 422 m;
  • Altitude mínima: 290 m;

Pontos de interesse do PR11 - Trilho das Levadas em Mansores 1

  • Capela de Nª Srª do Rosário - Lugar da Vila, começo do percurso;
  • Passadiços junto do Ribeiro da Barrosa;
  • Ribeira da Barrosa
  • Antigas levadas;
  • Galeria Ripícola;
  • Cruzeiro dos Centenários;
  • Monte ou Sítio do Côto do Crasto;
  • Calvário;
  • Sobreiro centenário;
  • Casa da Terça

Trilho das Levadas em Mansores | Um novo percurso junto à Ribeira da Barrosa

Este percurso é recente, está bem assinalado e permite-nos embrenhar-nos nos seus campos, vales, terras e gentes, acompanhando as levadas e vendo os agricultores a trabalhar afincadamente nas suas terras, alheios aos forasteiros que passam.

Mulheres no campo Fernanda de Almeida e sobrinha Sónia Almeida, no lugar de Campo do Rio Mansores

Pelo caminho lá fomos trauteando com alguns, como foi o caso da Fernanda de Almeida e da sobrinha Sónia Almeida, no lugar de Campo do Rio, que andavam a cortar as sementes do azevém galego, para voltar a lançá-las à terra lá para outubro.

Ribeiro da Barrosa - zona com floresta, passadiços e águas serpenteantes

Trilho das Levadas em Mansores | Um novo percurso junto à Ribeira da Barrosa

A ribeiro da Barrosa, é uma zona idílica, apinhada de castanheiros, carvalhos e amieiros, diversos açudes, uma dezena de moinhos e vários socalcos. Foram construídas pontes e escadas em madeira para ajudar o caminhante na sua aventura e mesas para retemperar as suas forças. Não fomos daqui sem mergulhar nas suas gélidas águas, num batismo que já é habitual.

O descanso à conversa na esplanada da Loja do Ângelo

Uma conversa entre Oliveira Manuel, Maria Almeida, Sílvio Dias e Mário Almeida, na Loja do Ângelo - Mansores

A parte mais rica do trilho é junto deste rio, que alimentava em tempos os agora decrépitos moinhos e a levada que matava a sede aos campos. Passamos junto à Capela de Santo António e fomos descansar na esplanada da Loja do Ângelo, onde estivemos à conversa com um casal de idosos, Mário e Maria Almeida e o amigo Oliveira Manuel. Contaram-nos histórias da sua vida, dos trabalhos passados, das dificuldades e dos filhos que cresceram e se fizeram homens, mulheres e lhes deram netos. Por estes lados o ciclo da natureza ainda acompanha a vida dos homens.

No lugar da Estrada, paramos a contemplar um soberbo sobreiro, que cumprimentamos e admiramos a sua grandeza, que nunca nos deixa indiferentes. Pelo caminho encontramos umas amistosas ovelhas num quintal a quem demos alguns ramos de videiras.

Paramos algumas vezes para saborear os aromas das giestas e carqueja, que depois de seca dá para fazer chá.

Mais histórias havia para contar, mas convidamos os nossos leitores a descobrir o resto e vivenciarem as suas próprias experiências. Nestes onze quilómetros o tempo alongou-se, provando que a teoria da relatividade de Einstein está correta, já que entramos pela aurora e num raio de luz, fomos absorvidos pelo crepúsculo. Chegados a casa, fomos dormir e sonhamos que os moinhos que encontramos degradados foram recuperados.

Igreja de Santa Cristina e Santa Quitéria - Mansores - Arouca

Romária à Festa de Santa Quitéria - Mansores

Ali próximo foi erguida a Igreja de Santa Cristina, que ocupa o lugar de destaque no templo. Aqui também se encontra a Santa Quitéria, que apesar de estar num local mais discreto, tem a sua festa no primeiro domingo de junho. 

Este é o tipo de percurso que nos agrada, é muito rico, passa por aldeias, estradas e caminhos rurais em terra batida, ladeando rios, campos e levadas. O silêncio é recortado pelo cantar dos pássaros, rios, riachos, fontes ou homens a roçar. Mas nem só o homem labuta, encontramos uma grande colónia de formigas muito atarefadas, à volta do seu montículo, paramos para observar por alguns minutos estes seres onde o bem comum é superior aos interesses individuais. 

Leia também: Percursos pedestres em Aveiro

 

Caminhe no distrito de Aveiro e pedale de bicicleta pelo norte de Portugal

O distrito de Aveiro tem dezenas de caminhadas e percursos pedestres muito bonitos, na serra, junto do mar, ria e rios, que pode aproveitar para os conhecer. No norte de Portugal há muitas ciclovias, ecovias e ecopistas que se pode percorrer, a caminhar ou de bicicleta, muitas delas por antigas linhas ferroviárias, agora convertidas em pista para as pessoas passearem.

Créditos e Fontes pesquisadas

Texto: Ondas da Serra com exceção do que está em itálico e devidamente referenciado.
Fotos: Ondas da Serra.
1 - Arouca Geopark - http://aroucageopark.pt/

Vídeo do PR11 - Trilho das Levadas - Mansores - Arouca

Galeria de fotos do PR11 Trilho das Levadas em Mansores - Arouca

Lida 3140 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é uma marca registada e um Órgão de Comunicação Social periódico inscrito na ERC - Entidade Reguladora para a Comunicação Social, com um jornal online. O nosso projeto visa através da publicação das nossas reportagens exclusivas e originais promover a divulgação e defesa do património natural, arquitetónico, pessoas, animais e tradições do distrito de Aveiro e de outras regiões de Portugal. Recorreremos à justiça para defendermos os nossos direitos de autor se detetarmos a utilização do nosso material, texto e fotos sem consentimento e de forma ilegal.     

Itens relacionados

Trilho dos Socalcos do Sistelo revela paisagens incríveis

O percurso pedestres PR24 – Trilho dos Socalcos do Sistelo, desenvolve-se nesta freguesia do concelho de Arcos de Valdevez. Esta caminhada é caracterizada pelos socalcos que contribuíram para ter ganho o título de ser uma das “7 Maravilhas de Portugal”, na categoria de Aldeia Rural. Esta forma que os seus antepassados arranjaram para moldar a paisagem e conseguirem cultivar as terras para o seu sustento, mudam de tonalidade e beleza conforme as estações do ano. Pelo caminho poderão ser encontrados traços da sua ancestralidade e práticas agrícolas. Por vezes nos lugares mais inusitados descansam ou pastam bovinos da raça Cachena, alheios ao tempo e curiosidade dos forasteiros. Os socalcos, muros, espigueiros e casas em granito, das aldeias de Sistelo e Padrão conferem um caráter respeitoso e austero, da sua velha longevidade, mas que lentamente estão a morrer degradados pelo abandono. Subir estas encostas e ver Sistelo ao longe, rodeado de socalcos é uma das melhores formas de abarcar a sua beleza paisagística e de o celebrar.

Passadiços do Paiva: Guia Teórico-Prático para fazer o trilho

A fama dos Passadiços do Paiva em Arouca, por quem Gaia se enamorou, foi elevada pelos ventos aos quatros cantos da Terra. As suas formosas escadarias parecem tomar os céus de encontro ao Criador. O rio Paiva que as acompanha é dos últimos de águas bravas e mais limpas da Europa. O seu percurso ondulante acariciando o vale aproxima o ser humano da natureza que esqueceu, mas quer resgatar. Este Jardim do Éden, pode conduzi-lo aos verdes prados e águas refrescantes, porque nada lhe falta, por isso temos o dever de o proteger e enaltecer a sua natureza. Esta aventura vai desvendar algumas das riquezas da sua fauna, flora, geologia, história, rápidos e praias fluviais. Muito se tem escrito sobre este premiado ser, contudo neste artigo vamos dar-lhe uma visão prática da visita, para colmatar uma das suas lacunas, para você saber de antemão o que pode ver, ouvir, cheirar, provar e tocar.

Aldeia da Paradinha: Paraíso rural com refúgio na natureza

A Aldeia da Paradinha nasceu em Alvarenga, Arouca, no distrito de Aveiro, entre as serras da Freita e Montemuro. A sua construção vernacular de traça tradicional em xisto e ardósia valeu-lhe a distinção de Aldeia de Portugal. O seu casario em cascata numa encosta montanhosa estende-se até ao Rio Paiva onde nasceu uma aprazível praia fluvial e parque de merendas. Aqui já não existem moradores permanentes, só turistas do alojamento local ou casas restauradas. Muitos desses casebres e empreendimentos hoteleiros foram recuperados ou construídos, por vezes com materiais e técnicas inapropriadas que desvirtuam a sua autenticidade rural. A beleza desta aldeia e seu enquadramento natural podem ser abraçados do miradouro “Mira Paiva”, que lança vistas para o rio serpenteante no fundo do vale, que desemboca nos Passadiços do Paiva a jusante. Esta região há milhões de anos foi um mar pouco profundo e onde subsistem fósseis e vestígios geológicos, para quem souber procurar.  Existem muitos pontos de interesse arquitetónicos, geológicos, naturais e gastronómicos, que podem ser apreendidos e que vamos partilhar.