Cenas campestres de Regoufe Bois da raça arouquesa - Arouca
terça, 07 novembro 2017 09:55

Cenas campestres de Regoufe Destaque

Classifique este item
(0 votos)

Diz-se muitas vezes acertadamente que a beleza e magia estão no olhar de quem observa, este verbo foi usado intencionalmente, porque observar é diferente de ver, assim como escutar é diferente de ouvir.

Cenas campestres de Regoufe

O vídeo abaixo inserido recolhe algumas cenas da vida das pessoas e dos animais em Regoufe - Arouca. Nestes locais o vagar do tempo é diferente, pastoso e difuso. Não parece preocupá-los em demasia pois já se habituaram a regerem-se pelo sol que naqueles locais se esconde mais cedo atrás das serras.

Os bois da raça arouquesa têm tanto de corpulento como de mansidão, mas é preciso sempre respeitar porque estão bem equipados com músculos e chifres. Se soubessem a força que têm talvez dessem mais que fazer, assim como certas pessoas.

Por estes lados parece que os animais domésticos são mais tranquilos sendo necessário pedir-lhes licença para passarmos nos estreitos caminhos. Bem as ovelhas continuam a ter medo, essas não mudam independentemente do sitio onde vivam. 

São bonitas as galinhas, garnisés e toda a espécie de galináceos que anseiam o final do dia para dormitarem numa perna. De vez em quando abrem um olho para logo de seguido o fecharem, o local não é para preocupações.

Só muito pontualmente é que se ouvem barulhos de carros ou máquinas agrícolas, de resto é vento, chocalhos de ovelhas, cabras ou bois.

Aqui a vida decorrer calma, serena e simples, não há stress.

Vídeo sobre Regoufe  

Galeria de fotos

Lida 859 vezes

Autor

Ondas da Serra

Ondas da Serra® é um Orgão de Comunicação Social periódico, distribuído electronicamente, que visa através da inserção de notícias, promover a identidade regional, o turismo, e a divulgação/defesa do património natural, arquitectónico, pessoas, animais e tradições, dos concelhos da região norte do distrito de Aveiro, nomeadamente: Ovar, Santa Maria da Feira, Espinho, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca e do forma mais geral dos restantes municípios do distrito.

Itens relacionados

Meitriz aldeia de xisto com bela praia fluvial no Rio Paiva

Meitriz em Arouca é uma terra profundamente longínqua, que brotou do fundo do Vale do Rio Paiva e que conserva ainda a sua traça tradicional, recebendo a distinção de Aldeia de Portugal. O rio por ela se enamorou, fazendo-lhe uma vénia ao chegar e oferecendo-lhe uma praia fluvial para se perfumar. Ela deu-lhe volta à cabeça, ele deu-lhe voltas ao rio, tão recortadas de pasmar, não podendo ficar partiu, dando lágrimas ao lugar. Por estas terras se reconquistou e perdeu território para o Sarraceno, Almançor por aqui atemorizou, mas este povo sempre lutou e como em Moldes igrejas sempre edificou. 

Janarde bela vista do Rio Paiva e Icnofósseis de Mourinha

Janarde em Arouca foi abençoada com uma luxuriante natureza e vista soberba sobre o vale do Rio Paiva, preservando ainda algum do seu casario em xisto e socalcos agrícolas que outrora davam pão ao povo. É também uma velha terra com milhões de anos gravados na história geológica das suas rochas. O espírito de Deus ao pairar sobre as águas deu à luz a vida, tendo a sua criação moldado seres de todas as formas e feitiços, que foram vivendo e morrendo ao longo de milhões de anos. Muitos foram aqueles que nos deixaram provas da sua existência, através dos restos fossilizados dos seus corpos ou icnofósseis das pistas por onde passaram, existindo aqui um importante geossítio do Arouca Geopark, onde poderá admirar marcas deste passado. A nossa curiosidade levou-nos a fazer um pequeno trilho para conhecer esta terra, paleontologia, icnofósseis, meandros, cocheiros e biblioteca do Rio Paiva.

O que visitar na Serra da Arada no belo Trilho das Bétulas

Saltando sobre picos montanhosos, cruzamos a imensidão da Serra da Arada, no concelho de São Pedro do Sul, que irrompeu pelo Maciço da Gralheira, no reino das Montanhas Mágicas e aventureiros descobrem a Rota da Água e da Pedra. Nesta serra trilhamos a Rota das Bétulas, que começa junto do Retiro da Fraguinha, que encerra religiosamente um pedaço de turfeira, antigo tesouro do tempo das glaciações. Do alto do espetacular Miradouro da Ribeira Escura, vislumbramos as aldeias de Candal e Póvoas das Leiras, que se fazem acompanhar pela Ribeira de Paivó e uma levada que parte da Lagoa da Fraguinha. Os modernos moinhos de vento chegaram como maquiavélicas criaturas, dotados de eólicos braços, que prostrados em cimo dos penedos ameaçam tudo o que a vista alcança, brandindo as suas facínoras espadas. Vamos então viajar e conhecer estes recantos, onde tão desrespeitado tempo viajou para paragens mais afortunadas e bafejadas pela agitação, desassossego e humano desatino.